Palestras‎ > ‎Shimbashira‎ > ‎

Shimbashira_2011.06.12a

Hoje foi realizada a Cerimônia Comemorativa dos 60 Anos de Fundação da Sede Missionária Dendotyo do Brasil e, nesta oportunidade em que fiz a reverência, gostaria de fazer uma saudação. Primeiramente, minhas sinceras felicitações pela magnífica realização da Cerimônia Comemorativa. Expresso também meu sincero apreço pela dedicação de todos às missões do Caminho em seu dia a dia.

A fundação da Sede Missionária, Dendotyo, ocorreu em 1951, mas o missionamento no Brasil já vinha sendo realizado muito antes disso. Ainda, a fé das pessoas que vieram trilhando o caminho em meio a diversos nós, agarradas às providências de Deus-Parens e apoiadas na vida-modelo de Oyassama, veio sendo transmitida de pai para filho, de veterano para novato, de pessoa para pessoa e veio se ampliando, até chegar aos dias atuais. Assim, penso que o significado deste dia de hoje para nós, que daremos continuidade ao Caminho rumo ao amanhã, está em suceder e transmitir, sem equívocos, os passos deixados pelos antepassados e determinar mutuamente o espírito no sentido de corresponder à intenção divina de que “o Caminho segue para as futuras gerações”.

Pensando no Caminho para as futuras gerações, gostaria que interpretassem o dia de hoje como uma nova partida e tornassem a Cerimônia Comemorativa algo significativo, sem deixar que ela se encerre apenas na empolgação da festa. Para isso, gostaria de falar um pouco sobre o significado da Sede Missionária.

O papel da sede missionária é o mesmo das sedes administrativas existentes em cada província do Japão, ou seja, ao mesmo tempo em que é um posto avançado da Sede da Igreja, é o local para a comunicação recíproca e a ajuda mútua entre os fiéis, e também o ponto central das atividades locais. Deve buscar a elevação das atividades de missionamento e, para receber a graça da expansão do Caminho nas localidades sob sua administração, deve ser o centro do tratamento e da fertilização, cuidando para que os fiéis, transpondo as diferenças de filiação de igrejas, possam se reunir, ligar os espíritos e incentivar uns aos outros.

Na Indicação Divina do dia 13 de julho de 1902, na consulta sobre fundação de sedes regionais, temos:

Bem, isso está dentro do tratamento e fertilização. Tratamento e fertilização devem ser feitos sempre. Nada colherão se deixarem abandonado após semearem. O tratamento e a fertilização devem ser feitos.

Está orientando que o papel das sedes regionais é dedicar o espírito no tratamento e na fertilização.

Tratamento e fertilização são palavras normalmente usadas para referir-se a assuntos agrícolas. Os agricultores preparam um terreno de plantio plano e fértil aplicando fertilizantes, retirando cuidadosamente as ervas daninhas e exterminando os insetos nocivos. Tomando como exemplo esses aspectos do cuidado com as plantações, está nos ensinando a respeito do papel das pessoas que educam.

Para que as plantas cresçam, o tratamento e a fertilização são indispensáveis. Por mais que se semeie e se plantem as mudas, se não fizermos nada, não se poderá ter uma colheita farta. No que se refere às pessoas, é a mesma coisa. Se deixarmos largada uma pessoa que ingressou na fé, ela não se tornará uma pessoa que trabalhe na dedicação sincera à salvação.

O papel da sede missionária é pensar em como fazer para animar as igrejas e as casas de divulgação sob sua administração, em como fazer para que os yobokus e fiéis evoluam espiritualmente de modo a corresponder à vontade divina. Ainda, levando em consideração o futuro dessas pessoas, é desenvolver atividades no sentido de receber a graça do desenvolvimento e expansão do Caminho na sua localidade.

Para cumprir com essa missão, deve aceitar fiel e obedientemente a razão de Jiba, que é a origem do tratamento e da fertilização, e cuidar para transmiti-la de modo que seja recebida e aceita corretamente. Creio que este é o ponto a ser pensado em primeiro lugar. Nem é preciso dizer que deve haver uma compreensão correta das diretrizes da Sede da Igreja, mas como se trata de transmitir a razão, gostaria que pensassem em transmiti-la sem equívocos, refletindo sobre a intenção de Deus-Parens e sobre o espírito de Oyassama. Para isso, gostaria que não se esquecessem do esforço em corresponder à intenção de Deus-Parens, ou seja, em alimentar a convicção na fé devotada unicamente a Deus.

A postura de fé devotada unicamente a Deus é agir buscando a essência da reflexão na intenção de Deus-Parens e no ensinamento de Oyassama. Esforçar-se nesse sentido e desenvolver ativamente as atividades é a postura básica que desejo da sede missionária, que é o centro do tratamento e da fertilização.

O ensinamento deste Caminho foi se difundindo naturalmente na mesma proporção da evolução das atividades de missionamento. Dentro disso, foram surgindo as casas de divulgação e as igrejas, chegando até os dias atuais. Assim, existem pessoas que moram próximas, mas que estão filiadas a igrejas diferentes. No entanto, se buscarmos a origem de todas as igrejas, chegaremos a Jiba, a Deus-Parens e a Oyassama, não havendo nenhuma diferença no ensinamento. Todas têm, igualmente, como objetivo o mundo de vida plena de alegria. Ainda, para que esse ensinamento da vida plena de alegria seja difundido com certeza às localidades, é necessário que os yobokus e fiéis que moram numa mesma localidade liguem os espíritos entre si, independente da igreja a que estão filiados. Creio que a sede missionária deve pensar em como trabalhar para que os fiéis aproximem mutuamente o espírito, ajudem e incentivem uns aos outros, unam as forças e alinhem os espíritos, não só para a evolução espiritual de cada um, mas também para o desenvolvimento do Caminho.

A sede missionária tem, também, o mesmo significado de uma igreja, possuindo uma razão da denominação. Assim como cada igreja existente nas diversas localidades, carrega também o papel de ser a academia da dedicação sincera à salvação, um modelo de vida plena de alegria nessa localidade.

Em poucas palavras, pode-se dizer que a vida plena de alegria é a vida repleta de alegria que corresponde à intenção de Deus-Parens. Indo à sede missionária, podemos apreciar um ambiente alegre e feliz, que corresponde à vontade de Deus-Parens; reverenciando na sede missionária, o espírito se acalma e o sentimento deprimido se anima naturalmente. Creio que este é o significado de ser o modelo de vida plena de alegria.

Originalmente, uma igreja nasce do fervor incontrolável de pessoas que, conhecendo as providências de Deus-Parens, sentem gratidão e querem retribuir por elas. A igreja é o local onde as pessoas assim reunidas trabalham para aprimorar o espírito buscando o ensinamento, e se dedicam à evolução espiritual para poderem conquistar a vida plena de alegria. Ainda, dedicar-se às atividades de missionamento visando os de fora é o significado da academia da dedicação sincera à salvação. Não é no tamanho do terreno ou da construção que existe significado. É no ambiente criado pelas pessoas que se ligam à igreja que existe significado. Para isso, penso que, primeiramente, o primaz e as pessoas que moram na sede missionária devem se esforçar para assimilar no espírito a intenção de Deus-Parens e o ensinamento de Oyassama, e desenvolver as atividades para que a sede se torne um local central da localidade, onde todos possam se reunir contentes do fundo do coração.

Nas Indicações Divinas temos:

Bem, mesmo trilhando o caminho do Parens, não conhecem a razão do caminho do Parens. Por haver o caminho antigo é que há o caminho novo. O caminho antigo é do Parens, o caminho novo, dos filhos. Gradualmente, por procurarem trilhar o caminho novo, se esquecem do caminho antigo.

Compreendam bem. Por haver o caminho antigo é que se diz caminho novo.

(7 de outubro de 1889)

Justamente por haver o caminho da vida-modelo de Oyassama é que se abriu o caminho das novas gerações, e por haver o caminho das novas gerações é que temos o nosso Caminho atual.

Até agora, a começar pelo Brasil, as pessoas que se dedicaram ao Caminho na América do Sul, vieram trabalhando animados no caminho da dedicação sincera à salvação numa terra distante de Jiba, unicamente agarrados em Oyassama eternamente viva, buscando a vida-modelo. Às almas desses saudosos mestres e antepassados dos senhores, gostaria de expressar todo o meu respeito e a minha gratidão, do fundo do coração. Ainda, todos os senhores foram atraídos a este Caminho pelas predestinações individuais e estão trilhando o Caminho neste país. Isso quer dizer que, apesar de haver diferenças na posição social ou no papel que ocupam dentro do Caminho, foi-lhes atribuído igualmente um local para trabalharem pelo Caminho. Gostaria que renovassem o sentimento de que, unindo e ajustando mutuamente as forças, poderão receber a graça da expansão do Caminho nesta localidade.

Aproveitando a oportunidade em que a Sede Missionária Dendotyo do Brasil completou 60 Anos, gostaria de solicitar que todos os senhores trabalhem animadamente daqui para frente também, ligando os espíritos em um só para uma expansão ainda maior e um grande desenvolvimento do Caminho, apesar das dificuldades que poderão ser enfrentadas. Assim encerro a minha saudação.