2011.02_Yoshiyo Ueda

Reverendo Yoshiyo Ueda

        As minhas felicitações a todos os senhores pela alegre e animada realização da cerimônia mensal de fevereiro do Dendotyo.

        Além disso, os meus reconhecimentos e o meu agradecimento pelos esforços diários de todos aos trabalhos do Caminho.  Gostaria de contar com a atenção dos senhores por alguns minutos.

 

Unir os cinco dedos; representar a razão com os movimentos

         Há poucos instantes, pude observar o movimento das mãos do Serviço e percebi que as pessoas dançaram com firmeza e seriedade.

         Sobre o movimento das mãos do Serviço, em 1883, quando ainda Oyassama estava presente fisicamente, os discípulos de Oyassama iam com frequência da Residência até a Irmandade Shinyu que posteriormente se tornaria a Igreja-mor Shikishima para ensinar o Serviço. Em todas as ocasiões, os mestres chamavam a atenção em um ponto: tanto o polegar como o dedo mínimo, todos os dedos devem estar firmes e juntos.

         Na verdade, se movimentarmos as mãos prestando atenção na firmeza dos dedos, sinto que o espírito se funde ao Serviço e ficamos ainda mais concentrados. Não é apenas ficar movimentando as mãos aleatoriamente, mas como foi ensinado pela Oyassama, sinto que estamos representando a razão com os movimentos.

         Oyassama disse: “Estes são hinos da verdade. Devem dançar em harmonia com a verdade. Não estão dançando simplesmente, estão expressando a verdade.” Significa que devemos dançar de acordo com a verdade contida nos hinos sagrados. Assim, poderemos sentir a verdade dos hinos e direcionar o nosso espírito de modo que corresponda à razão e fazer os movimentos para dançar.

         Quando realizarmos o Serviço direcionando o espírito de acordo com a verdade dos hinos, sinto que o nosso sentimento na vida diária também vai mudando. Penso que o cotidiano passa a corresponder à razão do Serviço.

         Como seria então dançar expressando a verdade dos hinos sagrados? Vamos ver a primeira parte do hino do Serviço: “Limpando os males, salvai-nos, Tenri-Ô-no-Mikoto” (Ashiki o harote tassuke tamae, Tenri-Ô-no-Mikoto). No momento do “ashiki” juntamos as mãos fazendo o gesto de solicitação. Em seguida, fazemos o gesto de limpar o peito. Entretanto, o gesto de solicitação não é o gesto dos males, mas o gesto de Deus. Por isso, este movimento é de orar firmemente a Deus, e ao mesmo tempo, se praticar o ensinamento, então Deus vai fazer a limpeza do espírito. É essa razão que está sendo ensinada. Como prova disso, se fizermos com seriedade o Serviço que é um dos mais importantes ensinamentos de Deus, o nosso espírito fica purificado. Conseguimos ter bons pensamentos. O dia começa alegre e radiante.

         Deste modo, se praticarmos o ensinamento de Deus, será feita a limpeza do espírito. O importante é que a verdade do Serviço faça parte da vida diária.

         Ao cumprir e praticar firmemente o ensinamento, Deus fará a limpeza do espírito. Ou seja, qualquer que seja o ensinamento de Deus, se colocar em prática, o espírito será purificado. Dentro disso, gostaria de falar sobre a vida-modelo de Oyassama, principalmente sobre o fato de nos colocarmos no lugar das pessoas.

 

Vida-modelo de Oyassama

         A primeira coisa a ser feita pela Oyassama no início da vida-modelo foi: “Caia completamente na pobreza. Se não cair completamente na pobreza, não compreenderá o que sentem aqueles que sofrem.” Deste modo, seguindo o desejo divino, desceu completamente na pobreza.

         A família Nakayama era relativamente rica. Porém aos poucos foi se desfazendo dos bens materiais e chegou ao ponto de se igualar à vida de miséria que muitas pessoas passavam naquela época.

         O primeiro ponto é se colocar na posição do outro. Para salvar o próximo, é preciso se colocar no lugar da pessoa para poder entender o seu sentimento. É isso que está sendo ensinado.

         Ao mesmo tempo, deixar de lado a nossa ambição e estar na posição do outro são dois fatos em um. Se não deixar a ambição, não poderá sentir o próximo. Quanto mais deixar de lado a ambição, naturalmente poderá se colocar na posição do outro. Quando realmente desejar se colocar na posição do outro, estará se distanciando da própria ambição.

         A vida-modelo começa do ponto de se colocar no lugar das pessoas. É um ponto muito importante que não deve ser esquecido por nós.

 

O banho de Kayo

         É uma experiência que passei. Logo após o nascimento da minha filha, fiquei com a função de dar banho. Porém, inexperiente e sendo a primeira filha, não tinha muito jeito. Por mais que me esforçasse, sentia que a minha filha não estava gostando do banho. Quando colocava na banheira, começava a chorar bem alto, dando para ouvir na vizinhança. Isso acontecia todas as noites. Um conhecido me ensinou que era melhor fazê-la segurar um pano para que ela ficasse mais tranquila, outras pessoas deram muitas dicas e sugestões, mas nenhum foi satisfatório. Fiquei sem esperança e deixando de lado tudo que tinha aprendido apenas me concentrei num ponto: vou me colocar no lugar dela. Nesse momento, a filha que até então chorava parou de repente. Depois disso, ela nunca mais chorou no momento do banho.

         Isso aconteceu somente por pensar em me colocar no lugar da minha filha. É uma mudança muito grande.

         Naquela época, para mim, dar banho na minha filha era um dos maiores problemas e por isso, foi uma experiência inesquecível. Foi uma mudança de atitude muito repentina e depois disso, lavava as costas e o corpo sempre com o sentimento de estar em seu lugar e o banho para ela ficou sendo algo muito agradável. Sentia que estava muito contente.

         O importante não é a razão ou o modo de fazer, mas se colocar na posição do outro. Através dessa experiência pude aprender que o importante é se colocar no lugar da pessoa com o corpo e a alma.

         Assim, Oyassama tinha se colocado na posição das pessoas que estavam na pobreza, e certo dia a filha Kokan disse:

         “Mamãe, já não há mais arroz.” Então Oyassama respondeu:

         “Quando bebemos água, sentimos o gosto da água. Deus-Parens tem-nos abençoado com a sua excelente graça.” Estas palavras representam o fundamento da satisfação sincera.

         O corpo que Deus nos emprestou tem recebido plenamente a providência do fogo, da água e do ar e as dez providências Refletir sobre essa imensa graça no dia a dia é uma fonte inesgotável de muitas alegrias. Deste modo, se passar por quaisquer situações com alegria, o espírito vai sendo purificado.

         Deste modo, cumprindo o ensinamento de Deus é que fazemos a limpeza do coração.

         Além disso, para fazer essa limpeza é preciso limpar o recinto de reverência, as ruas e os banheiros. Isso vai ser muito valioso. Seguindo esse ensinamento de Deus é que será feita a limpeza do espírito e continuando pedimos a salvação. Nesse momento, solicitamos a salvação. Mas, de quem? De todas as pessoas que vierem à nossa mente e também solicitamos a salvação de todas as pessoas do mundo.

         E, finalizamos com Tenri-Ô-no-Mikoto, pedindo a providência de Deus para passarmos o dia a dia.

 

Segunda parte: tanto o corpo como o espírito são modelos; coisa emprestada; se colocar no lugar de Oyassama

         Na segunda parte, o principal ponto é sobre a razão da origem.

         “Modelando pela terra e céu do mundo, Eu tenho criado marido e mulher. Isto é o princípio deste mundo.”

         A terra e o céu do mundo é o próprio corpo de Deus, com a mesma razão do corpo de Deus é que foi criado o modelo do casal; ou seja Izanagui-no-mikoto e Izanami-no-mikoto.

         Como filhos desse casal é que nasceram os seres humanos com meia polegada e passados longos 900.099.999 anos é que fomos criados até chegar aos dias atuais, onde podemos entender e fazer tudo que desejamos.

         Assim, o corpo do ser humano foi criado possuindo a mesma razão do corpo de Deus. Pode-se dizer que foi-nos emprestado o corpo com a mesma razão do corpo de Deus. Por isso, é preciso sentir gratidão e agradecer pelo corpo emprestado que existe desde a razão da origem.

         Este é o Caminho em que foi revelada ao mundo a verdade da razão da origem para iniciar a salvação de todas as coisas. Na razão da origem, Oyassama era a possuidora da alma de Izanami-no-mikoto. Por haver esta predestinação é que em 1838, Deus estabeleceu-a como Sacrário de Tsukihi. Ela é a possuidora da alma de mãe de toda a humanidade. Por isso, o seu desejo é o mesmo que o de Deus-Parens e todas as pessoas são seus queridos filhos e a sua intenção é unicamente a salvação. No Ofudessaki, tem-se:

         Os seres humanos também tem afeição por seus filhos.

         Peço que reflitam pensando nisso. Of. XIV-34

         No dia a dia, o desejo do Parens

         é somente preparar meios para salvar. Of. XIV-35

         Para mim, Tsukihi, todos do mundo são meus filhos.

         Tenho unicamente plena afeição. Of. XVII-16

         Significa que do mesmo modo como os seres humanos sentem amor pelos próprios filhos, Deus-Parens e Oyassama também sentem afeição por todos os seres humanos, que são seus queridos filhos. Está sendo explicado que é para fazer a reflexão colocando-se no lugar de Oyassama que é o Parens de toda a humanidade.

         Refletir colocando-se na posição de Oyassama, no lugar do Parens. Isso significa seguir e buscar o desejo de Oyassama e dedicar o espírito para poder contentá-la.  Porém, o que Oyassama mais deseja e o que a deixa mais feliz? A resposta é caminhar a vida-modelo de Oyassama. Para isso é preciso praticar o ensinamento de Deus, fazer a limpeza do espírito e colocando-se na posição do outro, passar com o sentimento de salvar o próximo. Se passar sempre com esse sentimento estará fazendo com que o desejo de Oyassama contido na vida-modelo faça parte da sua vida, ou seja, fazer do desejo dela como sendo o seu próprio.

         Em todas as coisas é preciso pensar colocando-se no lugar de Oyassama. Desse modo, o desejo de Oyassama irá refletir em seu próprio espírito. E fazendo do desejo de Oyassama como sendo o seu próprio desejo, o casal deve unir firmemente o espírito e dia a dia fazer a limpeza do coração animando-se nos trabalhos da salvação. Com certeza Oyassama irá conduzir satisfatoriamente. Tem-se:

         Encarrego-me de todas e quaisquer salvações

         porque existe o Parens verdadeiro. Of. VII-101

         Oyassama se encarrega de tudo. Ao pensar assim, ficamos cada vez mais animados.

         Há 17 anos, logo após o casamento, fui nomeado para ser responsável de classe do Shuyoka, Seminário Espiritual. No pátio em frente ao Yakata, quando pela primeira vez fiquei perante os alunos, pensei: Durante os próximos três meses, serei o responsável de todos estes alunos. O Shuyoka é onde se faz a grande transformação da vida e isso estará ao meu encargo.

         Ao pensar nisso, senti uma enorme pressão e sinceramente, se pudesse, largaria a bandeira da classe e iria embora para sempre daquele local.

         Entretanto, depois de fazer a reverência no recinto de Deus e quando  abaixei a cabeça diante de Oyassama, em seu recinto, senti que ela estava dizendo: “Não se preocupe pois eu me responsabilizo por todos os alunos.” Então, lembrei-me de um dos versos do Ofudessaki onde era explicado que: “nada há a se preocupar, o Parens se encarregará.” Nesse momento, fiquei mais calmo e tranquilo e no corredor do recinto, senti uma imensa alegria e satisfação. Lembro-me desse fato como se fosse ontem.

 

Terceira parte

Sendo conduzido por Oyassama sempre viva, nos direcionamos na salvação das pessoas. Este é o verso da terceira parte do Serviço: “Limpando os males, apressamos a salvação. Tendo purificado todos igualmente, Kanrodai.”

         Cantamos juntos esta imensa intenção de Deus que é: limpando as poeiras do espírito, é apressada a verdadeira salvação, o mundo de vida plena de alegria e felicidade; purificando o espírito de todos, será construído o Kanrodai em Jiba original. Fazemos a determinação de trabalhar firmemente para a concretização desse ideal e solicitamos o encaminhamento para isso.

         Quando fiz o Curso de Habilitação para Condutor de Igreja, certo professor disse: todas as vezes que faço esta parte do Serviço ‘tendo purificado todos igualmente’, sinto que não posso ficar parado, que preciso sair para a divulgação. Essas palavras foram muito marcantes para mim. No Mikagura-uta, tem-se:

         Adentrando nas montanhas deixei visto

tanto as pedras como as árvores eretas.

         Para que vai se tornar yoboku, Deus já determinou antecipadamente e para que possamos encontrar essa pessoa, nós devemos continuar a nossa caminhada, sem parar.

Primeiramente, cantamos “limpando os males, salvai-nos” e cumprindo os ensinamentos e fazendo a limpeza do coração, devemos nos colocar na posição do outro e solicitar a sua felicidade. Seguindo, em “uma palavra” devemos estabelecer e sentir a gratidão da coisa emprestada e a gratidão ensinada desde a razão da origem, e juntamente com Oyassama que tem trabalhado sempre viva, fazer as explanações, ministrar o Sazuke e com isso, haverá a purificação do espírito de todos para que se possa concretizar o mundo de vida plena de alegria e felicidade conforme a intenção divina.

Visando este dia, de agora em diante também, vamos nos concentrar na realização do Serviço, dedicando o nosso espírito e correspondendo à verdade desse Serviço, caminhar cada vez mais animados.

Muito obrigado pela atenção de todos.