Palestras‎ > ‎Primaz Yuji Murata‎ > ‎

Tyotyo_2010.01

Primaz – Palestra na Grande Cerimônia de Janeiro de 2010

            Entramos juntamente no ano novo do ano 173 da revelação divina com saúde e desejo a todos feliz ano novo. Também, no dia de hoje, sem se importarem com a distância, grande número de pessoas fizeram a reverência na Grande Cerimônia de Janeiro e realizamos alegre e animadamente o “Serviço”. Manifesto os meus sinceros agradecimentos.

A partir de agora, desejo fazer a palestra desta Grande Cerimônia, apesar de estarem cansados, solicito a atenção de todos por alguns momentos.

 

No ano passado, apesar da difícil situação econômica,  graças à preciosa sinceridade dedicada por todos, recebemos a proteção para adiantarmos as obras comemorativas em face dos 60 anos de fundação de Dendotyo e pudemos inaugurá-las magnificamente. A partir deste ano, usando imensamente as novas construções concluídas, desejo avançar ainda mais a caminhada com espírito de unidade. Ao mesmo tempo que manifesto de coração os meus agradecimentos pela colaboração de todos, solicito a continuidade da dedicação até a cerimônia comemorativa.

 A Grande Cerimônia do dia de hoje foi realizada por ser a data inesquecível que Oyassama ocultou o seu corpo deste mundo no dia 26 de janeiro de 1887. Todos os anos, em Jiba, é realizada a Grande Cerimônia da Primavera no dia 26 de janeiro e, recebendo essa razão, neste dia permitido de hoje, pudemos realizar a Grande Cerimônia também no Dendotyo.

Há 123 anos, na tarde do dia primeiro de janeiro (8 de dezembro no calendário lunar), quando Oyassama saiu do banho, cambaleou subitamente. Quando as pessoas próximas lhe perguntaram a sua causa, respondeu:

“Isto é o sinal de que o mundo vai se mover.”

Está registrada assim no capítulo X da Minuta da Vida de Oyassama. Sobre isso, podemos refletir que está sendo referido sobre o ocultamento físico de Oyassama. Porém, nessa ocasião, recuperou-se logo. No dia 4 de janeiro, de repente, a sua saúde tornou-se novamente critica e, quando consultaram a Indicação Divina através do mestre Izo Iburi que tinha recebido “a permissão da transmissão oral”, tiveram as seguintes palavras:

“Já está cheio e premido suficientemente. Até este momento, tenho-lhes informado a respeito de todas as coisas, mas não as têm compreendido clara e completamente. Embora Eu explique tanto, não há quem compreenda. Isto é o meu pesar. Es­tão vivendo desconfiados, mas reflitam bem a res­peito. Se o que Deus lhes diz é falso, este caminho não teria continuado desde 49 anos antes até o presente. O que disse até agora terem sido realizado. Reflitam sobre isto. Devo retirar-me já, nessa con­dição? Devo ocultar-me?”

Até agora, sobre o caminho da dedicação única à salvação, Oyassama ensinou suficientemente o que era necessário. Para salvar igualmente todos, o que era necessário, veio explicando todas as coisas, mas não têm entendido nada. Embora tenha dito e explicado, por não haver quem tenham compreendido, é o pesar para o Parens. Pensam nos fatos misturando as cogitações humanas comuns da sociedade e vivem desconfiados. Se os dizeres de Deus-Parens fossem falsos, este caminho não poderia, sem dúvida alguma, ter continuado por 49 anos, desde a origem em 1838. Se todos não conseguirem compreender em razão da demasiada morosidade de sua  evolução espiritual, Oyassama  poderá deixar de respirar nessas condições. Foi uma rigorosa instrução.

Está registrado que:

“Nessa ocasião, Oyassama deixou de respirar e o seu corpo foi se esfriando rapidamente.”

Daí, as pessoas que estavam servindo na Residência, prontamente, pensaram que era necessário realizar o “Serviço”. Porém, com a realização do “Serviço”, preocupados em não causar sacrifício a Oyassama, banhando-se na água gelada, no pleno inverno, e com os instrumentos musicais incompletos, realizaram a partir do dia 5 de janeiro, com portões e portas fechadas, no meio da noite, o “Serviço” para que fossem perdoados.

Deus-Parens aceitou a sinceridade das pessoas e o mal-estar de Oyassama teve uma pequena melhora, mas não conseguia alimentar-se como antes. Assim, na noite de 8 de janeiro, as pessoas que estavam presentes deliberam  e decidiram “executar suficientemente de acordo com o registro Kouki, dedicando dois décimos de suas atividades aos afazeres do mundo humano e oito décimos aos de Deus-Parens”. Sobre os dois décimos de suas atividades aos afazeres do mundo humano, uma é a adesão ao senso comum da sociedade por preocuparem com o corpo de Oyassama, e outra é a continuidade do movimento de fundação da igreja. Também, “executar suficientemente de acordo com o registro Kouki”, se refere que dedicarão suficientemente conforme os dizeres de Oyassama. Esta determinação espiritual deve ter sido aceita, pois desde a manhã do dia 9, ficou bem disposta e alimentou-se um pouco. No entanto, no dia seguinte, dia 10, a disposição de Oyassama caiu novamente e ao consultarem mestre Iburi, tiveram as seguintes palavras rigorosas:

“Já não dou indicações para fazer isto ou aquilo. Depende do espírito de cada um. Já não dou mais qualquer indicação.”

Após receberem estas palavras, todos ficaram assustados, as principais pessoas deliberaram, todos declaram ao Shinnossuke para realizar o “Serviço”, mas ele afirmou dar-lhes uma resposta após refletir. Shinnossuke estava com 21 anos de idade e o problema era muito sério para ser respondido prontamente. Sem poder esquecer do grande nó ocorrido exatamente há um ano, podemos imaginar a firme decisão dele de não deixar nunca mais Oyassama passar na prisão por privações no soalho de madeira gelada no inverno rigoroso. Por isso, penso que não ficou com o desejo de realizar prontamente o  “Serviço”. Mesmo sabendo o caminho para corresponder o desejo de Oyassama, creio que Shinnossuke não pode responder prontamente. Depois de repensar muito durante dois dias, na madrugada do dia 13, por volta das três horas, Shinnossuke, acompanhado pelo mestre Kajimoto e Maegawa, adiantou-se junto à cabeceira de Oyassama e consultou. E as consultas prosseguiram  por 13 vezes e recebeu ordenadamente as instruções de Oyassama. As coisas que foram instruídas aqui, como são fatos importantes ensinados na nossa caminhada por todas as gerações, vou citar todas.

Primeiramente, nas próprias palavras de Oyassama, temos:

“Todas as coisas, coisas que indagarem, se não compreendem, informo. Entendam firme­mente, firmemente. Entendam bem isto, isto. Já não posso, não posso ouvir-lhes. Deixei comuni­cado com antecedência. Começo a dizer algo difícil. Devem refletir somente sobre um fato. Por um momento, entendam todas as circunstâncias.”

Sobre “deixei comuni­cado com antecedência”, se refere à prática do “Serviço”. E “devem refletir somente sobre um fato”, se refere que devem refletir com a dedicação única a Deus.

Em relação a isso, quando Shinnossuke manifestou que para executar o “Serviço”  há circunstâncias difíceis, Oyassama instruiu que:

“Talvez seja difícil levar avante agora duma vez, mas o que é difícil estabelecerá realmente. Por longo tempo, por longo tempo, por longo tempo, desde 49 anos antes, nada entendem. Não há nada difícil.”

Sobre “o que é difícil estabelecerá realmente”, pensam que a prática do “Serviço” é difícil, mas Deus-Parens aceita a sinceridade de realizá-lo nesse meio difícil e será estabelecida realmente no espírito.

Em resposta, Shinnossuke solicitou uma indicação no sentido de que sustentem ambos os caminhos, tanto o ordenado por Deus-Parens como o das leis do país. Oyassama disse:

“Não é que não entendem a caminhada feita passo a passo desde a origem. O que estão passando agora, neste momento... Está errado dividir de qualquer maneira em partes. Não pode, não pode haver nem mesmo um instante de atraso.  Digo, agora; digo, agora. Conduzam pelo caminho previa­mente traçado. Imediatamente, imediatamente.”

Sobre “está errado dividir de qualquer maneira em partes”, está se referindo para não procurarem o caminho que compatibilize tanto a intenção de Deus-Parens como as leis do país, mas que devem almejar o caminho que todas as coisas estabeleçam conforme a proteção de Deus-Parens.

Porém, quando Shinnossuke solicitou um prazo para treinar o Serviço todas as noites, até que se complete seguramente todo o seu pessoal, Oyassama afirmou:

“Ouvindo o que digo uma vez, devem deixar firme­mente determinado. Existirão caminhos futuros. Entendam tanto um caminho como qualquer circuns­tância. Não devem suspender meramente. O caminho da ordem, o caminho da ordem.”

         Sobre “devem deixar firme­mente determinado”, se refere que a determinação espiritual é fundamental e não podem deixar de realizar simplesmente o “Serviço”, por haver as leis. Também, sobre “o caminho da ordem”, significa que, mais que as cogitações humanas, respeitar primeiramente os ensinamentos de Deus-Parens é a ordem do caminho.

Em referência, quando Shinnossuke manifestou o desejo de edificar um instituto educacional que permita desempenhar o “Serviço” por um tempo, Oyassama respondeu:

“Se não podem ficar tranqüilos, primeiramente este momento, quanto ao que estão discutindo, discutindo. Digo, agora. Se digo: agora, é por­que é agora. Não pode haver nenhuma hesitação. Entenderam?”

Sobre “se digo: agora, é por­que é agora. Não pode haver nenhuma hesitação”, se refere que tem dito para executarem o Serviço porque o tempo  para não ficarem hesitados já chegou e, se deixarem passar esta época oportuna, se arrependerão posteriormente.

Em resposta isso, Shinnossuke consultou que tem feito insistentemente para realizar o “Serviço”, porém, com  a situação atual da saúde de Oyassama, está estimulando a determinação do pessoal do Serviço autêntico ou a sua execução de qualquer maneira?

Oyassama afirmou o seguinte:

“Um a um dentre todos, determino o pessoal do Ser­vi­ço pela determinação espiritual. Se não houver dificuldades, o espírito não fica de­ter­minado. Tudo depende do coração, depende do espírito. Devem indagar-me até satisfazerem plenamente o espírito. Desde que disse que desci, não me recuo.”

Sobre “determino o pessoal do Ser­vi­ço pela determinação espiritual”, significa que, quando determinarem o espírito de respeitar a intenção de Deus-Parens, será mostrada a graça de completar o pessoal do Serviço.

Então, Shinnossuke manifestou de novo o desejo pelo restabelecimento da saúde de Oyassama, e foi ensinado o seguinte:

“Qualquer situação, qualquer situação referente ao que indagam, se não entenderam, informo-lhes. Entendam-me firmemente. Isto, isto, entendam-me bem. Já não podem mais, não podem, não podem. Começo a dizer algo difícil. Reflitam com o espírito único. É circunstância de um momento. Entendem qualquer circunstância. Por longo tempo, desde quarenta e nove anos antes vieram passando sem compreender nada. Que o dia de hoje se torne o do mundo, de todo o mundo.”

Sobre “é circunstância de um momento”, se refere ao Serviço. Também, sobre “que o dia de hoje se torne o do mundo, de todo o mundo”, se refere que agora é a época oportuna para expandir amplamente ao mundo este caminho da salvação do mundo.

Shinnossuke, diante dessa declaração, solicitou: “Se permitir o estabelecimento da Sede da igreja, faremos como Deus-Parens ordena.” Era a questão principal que desejava consultar, e teve as seguintes palavras de Oyassama:

“Sem dificuldades não é fácil determinar de imediato o espírito. Imediatamente agora, os três devem determinar firmemente o espírito. Deixo o que solicitam ao seu encargo. Que nunca esque­çam disso.”

Sobre “os três”, podemos pensar que está se referindo provavelmente ao Shinnossuke e aos mestres Kajimoto e Maegawa. E sobre “devem determinar firmemente o espírito”, que é fundamental as pessoas centrais determinarem com firmeza o espírito.

Shinnossuke expressou agradecimento pela permis­são do estabelecimento da igreja, quando Oyassama disse:

“Imediatamente, determinem o espírito de agora, já. Respondam com o espírito dos três firmemente unidos.”

Sobre “respondam com o espírito dos três firmemente unidos”, é para responder claramente se o espírito para realizar o Serviço está determinado.

Em referência, Shinnossuke perguntou-lhe: “Dissestes que as almas dos protótipos e instrumentos estão nascidos nesta Residência e, apontando a Residência, afirmastes que Deus-Parens aqui se revelou por ser Jiba do começo deste mundo, onde criou os homens e o mundo que não existiam, e declarastes que, tanto as autoridades como nós, somos almas iguais. Portanto, se nos questionarem sobre esses três princípios, como devemos responder, pois contrariam a lei e o homem não pode desafiar a lei?”

Em outras palavras, atualmente, nós não sentimos nenhuma contradição, mas como nessa época o regime do país era totalmente Xintoísta, não podiam dizer que o imperador tinha a mesma alma de nos. Comentavam que o imperador era deus vivo. Também, as pessoas em geral acreditavam que o local do início do ser humano era Takamanohara. E também era proibido considerar que a alma do ser humano e dos peixes e moluscos eram iguais.

Então, Oyassama ensinou o seguinte:

“Por existir o Tsukihi, existe este mundo; por existir o mundo, existe cada uma das coisas; por existir cada uma das coisas, existem os seus corpos; por existirem os seus corpos, existe a lei; embora exista a lei, a determinação espiritual é o mais importante.”

Sobre “embora exista a lei, a determinação espiritual é o mais importante”, significa que, mesmo havendo as leis, não será possível de imediato pacificar verdadeiramente o mundo com elas. Não há alternativa do que determinar firmemente o espírito sincero que identifica com Deus-Parens.

Em referência a essas palavras, Shinnossuke insistiu: “Quanto a nós não importa, mas a nossa preocupação é a condição física de Oyassama. Em caso de emergência, que graça será concedida?” Oyassama afirmou:

“Se houver sinceridade, haverá a verdade. Não sabem o que significa a verdade. A verdade autêntica é o fogo, a água e o ar.”

Se os seres humanos tiverem a sinceridade de corresponder à intenção de Deus, será mostrada a proteção de Deus. Ou seja, será mostrado o trabalho do fogo, da água e do ar e se encarregou de tudo.

Ainda, diante da insistente solicitação, Oyassama disse:

“É para comprar a verdade, é para comprar a verdade com o seu valor.”

Explanou que, Parens está desejando a sinceridade dos filhos. Por isso, dedicando a sinceridade, devem aceitar a verdade de Deus. Assim, foi longo, mas na madrugada do dia 13 de janeiro de 1887, em ambiente tenso, entre Oyassama e Shinnossuke, ou seja entre Deus e os seres humanos, prosseguiram os diálogos. Porém, nessas palavras, algumas vezes foram rigorosas e outras vezes foram afetuosas, e podemos sentir profundo amor parental. Podemos supor que, Shinnossuke pensou que com a determinação espiritual feita pela metade, não conseguiria solucionar esta questão, e para determinar sinceramente o espírito, era preciso consultar sobre todas as coisas que lhe causava preocupações.

Também, através do estado de saúde de Oyassama, apressou intensamente a realização do “Serviço de Kagura”. Na Preleção do Besseki, temos que: “O Serviço de Kagura é realizado em redor do Kanrodai, Pedestal do Néctar, por dez membros do pessoal do Serviço, de tal modo que representem pelos gestos, as providências divinas da criação do mundo e dos seres humanos.” Por ser o “Serviço” de extrema importância, podemos refletir que, para não errarem os movimentos das mãos por todas as gerações, apressou para aprenderem firmemente.

A partir de 13 de janeiro, Oyassama sentiu-se melhor e se manteve saudável. O Serviço de Kagura e da Dança das Mãos, iniciados na noite do dia 18, continuaram até a noite de 17 de fevereiro (25 de janeiro no calendário lunar) e, as pessoas praticavam diariamente o sacrifício de banhar-se na água gelada, em pleno inverno, oraram de todo o coração pelo restabelecimento de saúde de Oyassama. Durantes estes 31 dias, sem intervenção dos policiais, passaram os dias tranquilos.

No dia 24 de janeiro, ou seja, dia 1º de janeiro no calendário lunar, Oyassama mostrou-se bem disposta e voltando-se para todas as pessoas, disse:

“Têm discutido, discutido suficientemente. Desde o momento em que esta Residência começou, têm discutido suficientemente. E tenho aceito satisfa­toriamente.”

Concedeu palavras transbordantes de satisfação e de amor parental. Também, está registrado na Minuta da Vida de Oyassama que, no dia 13 de fevereiro, chegou a descer ao quintal e, colocando calçados, andou animadamente.

No entanto, na noite de 17 de fevereiro, que viria a ser a última noite que Oyassama estava presente fisicamente, sua saúde tornou-se novamente crítica e, ao consultarem a Indicação Divina através do mestre de Izo Iburi, receberam as seguintes palavras:

“Pisando, nivelarei a terra plenamente. Abrindo o portal, abrindo o portal, o nivelamento de todo o mundo. Co­me­­çarei o nivelamento da terra. Nivelarei a terra abrin­do o portal ou nivelarei, nivelarei a terra fechan­do o portal?”

Este fato não tem relação com a determinação espiritual dos seres humanos, o dia 26 de janeiro é o dia prometido. No parte III, nos versos 73 e  74, do Ofudessaki, escrito no mês de janeiro de 1874, temos o seguinte sobre isso:

Aos onze, o nove acabará e a angústia será esquecida,

e espero o dia vinte e seis do primeiro mês.

 

Neste ínterim, o centro será fixado, a ambição esquecida

e o Serviço preparado com o pessoal completo.

 

Como havia chegado o dia prometido, podemos refletir que foram mencionadas as palavras “nivelarei a terra plenamente”.

Com relação a esta Indicação, quando todos responderam que desejam que o mundo seja nivelado com o portal aber­to, nessa ocasião, o leque da consulta do mestre Iburi abriu-se subitamente e afirmou:

“A confrontação que se realiza, que confrontação? Atraindo todos, todos, todos junto a mim, atraindo qualquer coisa, atraindo toda e qualquer coisa junto a mim, abrirei, abrirei, abrirei, abrirei o portal para o mundo inteiro. Tudo mudará completamente.”

A intenção de Deus-Parens e o pensamento dos seres humanos, finalmente, vieram a confrontar-se. Para abrir o caminho da salvação do mundo, tem atraído qualquer pessoa na Residência original. E está afirmando que, se sair ao mundo com o portal aberto, o estado do caminho se transformará completamente.

E no dia seguinte, dia 26 de janeiro no calendário lunar, era o dia em que se executava mensalmente o “Serviço” e era ocasião que incentiva a realização do “Serviço” com o estado crítico da saúde de Oyassama. No entanto, as autoridades estavam atentas e qualquer passo em falso poderia provocar a prisão de Oyassama, cuja saúde estava crítica. A começar de Shinnossuke e dos mestres, pressionados pelas circunstâncias, refletiam preocupados e, sem saber o que fazer, consultaram a intenção divina.

“(Suprindo a parte inicial) Disse a partir de agora. Tenho explicado o que seja este agora. Tenho explicado anterior­mente para começar de agora, imediatamente. Já, agora, imediatamente, apresso-lhes para começá-lo depressa. Tenho motivo para dizer já, e devem ter o seu para dizer de acordo com as circuns­tân­cias e dizer para esperar. É sobre um ponto: temem a lei, a lei, ou temem Deus? Ou temem a lei? Se são coisas que, doravante, ocorrerão de qualquer maneira, não terá outro jeito. Já tenho avisado des­de muito antes. O tempo determinado, que é agora, não foi explicado agora. Donde e qual caminho deverá ser? É o caminho que nem é preciso per­guntar. Compreenderão unicamente com isto.”

Estão hesitando com medo das fiscalizações das leis ou respeitam os ensinamentos de Deus-Parens? Sobre isto, já deixou explanado suficientemente com antecedência. E instruiu que já não é ocasião para estarem consultado “o que devem fazer”.

Recebendo estas palavras, todos determinaram o espírito e, a partir do meio-dia, a saúde de Oyassama tornou-se repentinamente crítica. Sobre isto, o mestre Tamezo Yamazawa que estava participando da realização do “Serviço” todas às noites, na noite do dia 25, depois da realização do “Serviço”, voltou a sua casa na vila de Niizumi. Porém, preocupado com estado de saúde de Oyassama, na manhã seguinte, regressou bem cedo a Residência e perguntou ao mestre Matsujiro Kajimoto, “como estava a saúde de Oyassama?” E como recebeu a resposta que, “hoje de manhã, parece que está bem”, ele saiu despreocupado para cumprir a sua missão. Por isso, ele não estava na Residência quando Oyassama ocultou o seu corpo físico. Desse ponto também, podemos sentir a repentina mudança do estado de saúde de Oyassama.

Há também o registro que, antes de executar o “Serviço”, Shinnossuke foi até a casa do vizinho Guenshiro Adati e solicitou: “Se por acaso, nós formos presos, solicito a sua colaboração em todas as coisas posteriores.”

Na ocasião do Serviço, Shinnossuke ordenou para que fiquem para executar o “Serviço” somente aqueles com espírito decidido a suportar qualquer intervenção policial e disposto a sacrificar a própria vida ao desempenhá-lo. Todos vestiram várias roupas de baixo e várias meias e, preparados para serem presos a qualquer momento, por volta da uma hora da tarde, começaram a executar o “Serviço” altivamente, acompanhados pelos instrumentos musicais. As pessoas que participaram do “Serviço” eram 16 membros, os instrumentos estavam incompletos e, do ponto de vista formal, não foi perfeito, mas, do ponto de vista da disposição espiritual dos mestres, comentam que a disposição espiritual foi o máximo. Com grande número de pessoas que fizeram a reverência, comentam que os bambus, que limitavam a área  permitida, ficaram despedaçados. O “Serviço de Kanrodai” realizado envolvendo no centro o Kanrodai em plena luz do dia,  como que o sentimento desesperador dos seguidores de orar pela recuperação da saúde de Oyassama fosse correspondido por Deus-Parens, não apareceu um policial sequer e o “Serviço” terminou sem qualquer contratempo, como que fosse mostrado um milagre.

Porém, Oyassama que ouvia satisfeita o som alegre dos instrumentos musicais, justamente no momento em que terminou o último verso do Hino XII, Daiku no nin mo soroi kita (os membros de carpinteiros vieram a completar-se), movimentou-se um tanto inusitada. Hissa Kajimoto, que estava assistindo de perto, perguntou-lhe: “É água?” E respondeu “sim”. Hissa ofereceu-lhe a água, ela tomou três goles e ocultou o corpo físico como que estivesse dormindo tranqüilamente. E este fato acontece por volta das 14 horas do dia 26 de janeiro e estava com 90 anos de idade.

Como foi realizado o Serviço de Kagura e da Dança das Mãos no período de uma hora, foi realizado com um tempo bem rápido. Como os instrumentos estavam incompletos, podemos pensar que foi rápido por isso, mas, mais do que isto, numa situação que os policiais poderiam vir a qualquer instantes, podemos pensar que os mestres estavam com muita pressa e com o desejo único que Oyassama recuperasse a saúde terminando de realizar o “Serviço” sem nenhum contratempo, fez com eles tivessem o espírito de apressar ainda mais.

Como comentam que, por volta de 1887, a média de vida dos japoneses, dos homens era 42.8 anos e das mulheres era 44.3 anos, Oyassama esteve presente fisicamente mais do que o dobro da média de vida das mulheres japonesas.

Está registrado na Minuta da Vida de Oyassama que, o pessoal que voltava triunfante após realizar o “Serviço” sem qualquer contratempo, ao ouvir que a Oyassama havia ocultado o seu corpo físico, deixou escapar apenas um grito de dor e, logo, um silêncio absoluto caiu sobre eles. Por algum tempo, todos, abatidos e desalentados, não tiveram forças nem para proferir uma palavra, apenas choraram tristemente. As portas corrediças do estrado onde Oyassama estava descansando e da sala do lado estavam fechadas, mas quando abriram, comentam que os mestres Issaburo Massui e Shirobei Umetani estavam chorando silenciosamente. Como não encontrariam solução para o espírito tomado de dúvidas, apenas com suas forças, refletiram que não havia outro caminho do que consultar a Indicação Divina e todos solicitaram a Indicação Divina ao mestre Iburi no sobrado do depósito  interno. E tiveram as seguintes explanações:

“Fá-lo-ei uma terra nivelada. Todos, todos, estão completos, estão completos? Entendam bem. O que disse até agora deixei-o colocado na caixa da verda­de. Porém, eis que Eu, Deus, por causa do meu amor por meus filhos saí abrindo o portal, e encur­tando 25 anos da vida que o Parens tinha ainda pela fren­te, e começo a salvar-lhes a partir de agora. Fiquem observando bem. Fiquem observando bem o que foi até ago­ra e o que será doravante. Perguntei-lhes se nivelo a terra abrindo o portal ou fechando-o, e não soli­citaram para que nivelasse a terra abrindo o portal?  Eu fiz tal como desejaram. Até agora havia coisas que desejava dar a meus filhos. Porém, não pude dá-las devidamente. Ainda, ainda, doravante, as entregarei gradualmente. Deixem escutado bem.”

Em virtude do profundo amor aos filhos, o Parens ocultou o seu corpo encurtando 25 anos da vida determinada. Como a partir de agora, percorrendo o mundo, trabalhará para salvar igualmente todos, afirma para que fiquem observando atentamente se há alguma diferença como foi até agora e como será daqui diante. Oyassama, mesmo após ocultar o seu corpo físico, para salvar igualmente todos, trabalhará tal como em vida, e ensinou claramente sobre a razão da Oyassama eternamente viva.

Após ocultar o seu corpo, a alma de Oyassama permanecendo na Residência original, está trabalhando tal como em sua vida física na salvação do mundo, ainda mais agora, com a sua proteção e está nos orientando.

Devemos prometer a nossa decisão para podermos corresponder ao amor parental de ter até encurtado 25 anos de vida determinada por apressar a salvação do mundo e, cada um com a sua evolução espiritual, dedicar para contentar Oyassama, assim temos o significado da realização da Grande Cerimônia de Janeiro.

Nos dias 28 e 29 de novembro do ano passado, eu e a minha esposa participamos da 19ª Reunião dos Representantes das Localidades de Missionamento da América Latina, promovida pelo Departamento de Missões Exteriores da Sede da Igreja, que foi realizada na Igreja Buenos Aires, na Argentina. Esta igreja é filiada diretamente a Igreja-Mor Kawaramati  e recebeu a permissão de fundar a primeira igreja na Argentina no dia 26 de junho de 2003. A área da igreja tem 10 mil metros quadrados, o Recinto de Reverência de dois andares tem 50 metros de comprimento por  22 metros de largura e foi construído ao lado de uma rodovia expressa. O condutor da igreja é nascido e criado na Coréia e se chama Shin Yang Ki. Em 21 de dezembro de 1976, ele imigrou para Argentina e tem apenas 33 anos que começou o missionamento. Os yobokus e seguidores filiados são na maioria descendentes de argentinos.

Na ocasião da reunião, o condutor Shin palestrou sobre “o caminho na Argentina”, mas ele sucedeu a fé da mãe que era uma seguidora dedicada na Coréia e, com a sua esposa coreana, tem três filhos que nasceram na Argentina.

Ele comentou que passa por muita dificuldade por não fala bem o espanhol e, quando regressa a Jiba, por não entender suficientemente a língua japonesa, mas tem instruído e orientado as pessoas da Argentina em língua espanhola. Nos primeiros tempos, ensinando aikido, fazia o missionamento. Comentou que, em qualquer situação, amparando-se no trabalho da Oyassama eternamente viva e crendo totalmente em Deus-Parens e Oyassama, se esforçou na divulgação e salvação. Quando saia para a salvação pegando ônibus, sempre deixava a poltrona do lado livre para que Oyassama pudesse sentar aí.

Certa ocasião, quando um passageiro iria sentar ai, comentou que estava ocupado e essa pessoa foi reclamar brabo com o motorista. Como o motorista pediu para que deixasse essa pessoa sentar aí, em língua coreana, pediu desculpa a Oyassama e solicitou para Oyassama sentar na poltrona livre da frente. E comentou também que, na casa onde ele ia salvar, antes de ministrar o Sazuke, reservava um assento para Oyassama se sentar, e ministrava o Sazuke ao doente. Quando saímos para a divulgação e salvação, foi nos ensinado que estamos acompanhando a Oyassama, mas parece que ele praticou isso sinceramente. Também, se almejarmos passar o caminho de sacrifício da vida-modelo de Oyassama, poderemos servir como yoboku. E ainda tenho na minha mente que explanou com todo vigor que o mais fundamental é passarmos crendo totalmente na razão da Oyassama eternamente viva.

Para podermos contentar a Oyassama, em qualquer meio, vamos caminhar mutuamente radiantes, repletos de alegria e animados o caminho da dedicação única à salvação.

Muito obrigado pela atenção.