Palestras‎ > ‎Primaz Yuji Murata‎ > ‎

Tyotyo_2011.10

        As minhas felicitações e o meu agradecimento a todos os senhores que no dia de hoje, vieram de várias localidades para reverenciar a Grande Cerimônia de outubro e juntamente, acabamos de realizar alegres e animados o Serviço Sagrado. A partir de agora, farei a palestra e gostaria de contar com a atenção de todos.
A Grande Cerimônia de outubro é realizada para comemorar o dia original do início da Tenrikyo. O dia original da Revelação Divina é 26 de outubro de 1838.
Os fatos ocorridos nessa época estão registrados no capítulo I, do livro Vida de Oyassama. Exatamente três dias antes do dia 26, às 10 horas da noite do dia 23, o filho mais velho de Oyassama, Shuji, começou a sofrer com dor na perna, o marido Zembee com perturbações nos olhos e a própria Oyassama com dor nas cadeiras. Ou seja, os três passaram a sofrer simultaneamente. Desde um ano antes, quando Shuji passou a ter dor na perna, o asceta montanhês Itibee era chamado para fazer preces. Assim, no dia 24 de manhã, teve início a prece evocatória na residência dos Nakayama. Entretanto, nesse dia, Soyo que atuava como receptora estava ausente. Então, Oyassama ficou em seu lugar e Deus-Parens se revelou dizendo:
“Eu sou o Deus original, o Deus verdadeiro. Nesta casa há uma predestinação. Desta vez, revelei-me neste mundo para salvar toda a humanidade. Desejo ter Miki como meu Sacrário.”
Estas foram as palavras proferidas através da boca de Oyassama. Para a família Nakayama foi uma inesperada revelação e as pessoas ficaram surpresas com um Deus desconhecido. Oyassama que era uma dona de casa, não poderia se tornar sacrário e era um pedido realmente inaceitável. Porém, durante três dias continuaram as discussões e finalmente o marido tomou a decisão de aceitar o pedido e disse: “Concedo-vos Miki.” Este Caminho teve início devido a firme determinação de devotar unicamente a Deus e corresponder à intenção divina. No início, o marido, alegando que tinha uma filha com menos de um ano de idade, que possuía cargo na vila e que era muito atarefado, com cogitação humana, dizia que não poderia conceder a esposa como Sacrário de Deus. Mas, Deus-Parens manteve-se inflexível em sua decisão e preocupado com o estado de saúde de Oyassama, concordou com o pedido e isso foi determinante para resolver a situação daquele momento. Deste modo, este Caminho teve início através de uma pessoa, a Oyassama e chegou-se ao desenvolvimento dos dias atuais.
Por ter havido esse dia é que hoje, todos nós fomos encaminhados para a fé e com isso estamos podendo passar satisfatoriamente os dias.
Toda vez que celebramos a Grande Cerimônia de outubro, comemorando o dia original da Revelação Divina, é importante cada um refletir também sobre o dia original do início da fé.
Existe diferença no tempo e na situação em que cada pessoa foi atraída para o Caminho, seja através de sofrimentos por enfermidades, problemas difíceis ou de quem herdou a fé dos pais, dos irmãos ou familiares. Porém, cada pessoa possui o momento em que ficou emocionada ao ouvir a intenção de Deus-Parens e pelo fato de ter-se amparado nessa intenção é que existe o dia original da alegria em que recebeu a maravilhosa graça de Deus-Parens. Cada um tem o dia original em que foi salvo, a família tem o dia original em que foi atraída ao Caminho, e o condutor possui o dia original em que recebeu a permissão de se tornar condutor. Assim, devemos refletir sobre o dia original dos fatos mais importantes e relembrar a determinação espiritual dessa ocasião e com o sentimento de corresponder firmemente à intenção de Deus-Parens, ou seja, de caminhar animado com devoção única a Deus é o ponto essencial que não podemos jamais esquecer.
No cotidiano, todos nós deparamos com situações em que pensamos se é ‘devoção única a Deus ou cogitação humana’. Entretanto, nos fatos ocorridos, precisamos refletir seriamente sobre a intenção de Deus-Parens e fazer a determinação de seguir com devoção única a Deus. Isso é o modo de seguir pelo caminho da evolução espiritual e como resultado faz com que haja o progresso e o desenvolvimento do Caminho.
Deste modo, ao estabelecermos isso firmemente no espírito é que faz a Grande Cerimônia de outubro ter o seu verdadeiro significado.
Este ano foi muito significativo para o Dendotyo do Brasil pelo fato de ter havido a comemoração dos 60 anos de fundação que ocorre a cada 10 anos. Com todos unidos pudemos fazer com que a comemoração se tornasse muito significativo. Apesar de já ter passado quatro meses, no dia 12 de junho, recebendo a graça de um excelente tempo e com a presença do Shimbashira e esposa e a participação de mais de 6000 pessoas vindas de todo o país, foi realizada com muita alegria e animação a cerimônia comemorativa.
Visando os 60 anos de fundação, foi desenvolvida ativamente as atividades de missionamento com o objetivo de chegar à comemoração num estado maior de evolução do espírito e para isso houve a prática animada da determinação espiritual.
Este é o quarto ano das atividades de missionamento e até julho tivemos o seguinte resultado: fundação de uma igreja; inauguração de quatro casas de divulgação; 156 pessoas que concluíram o Curso de Habilitação de Mestre, primeira e segunda parte; 363 pessoas que receberam o dom do Sazuke; 390 pessoas que fizeram o Seminário de Formação Espiritual; 1213 pessoas que participaram do Curso de Doutrina e Curso Estudantil. Ao analisarmos em porcentagem sobre os números que foram determinados pelo Dendotyo, fica da seguinte maneira: fundação de igreja, 20%; casas de divulgação, 70%; Curso de Habilitação de Mestre, 78%; recebimento do Sazuke, 121%; Seminário de Formação Espiritual, 78%; Curso de Doutrina e Estudantil, 121%.
Nesta época oportuna dos 60 anos de fundação, com certeza pudemos receber uma imensa graça na expansão e crescimento da fé e gostaria de manifestar o meu reconhecimento pelo trabalho e dedicação de todos os senhores.
Além disso, visando os 60 anos, com intenção de dedicar a sinceridade na construção formal, no terreno do lado sul, foi construído o salão de múltiplo uso e as salas de aula e das associações e foi feito a ampliação da casa do primaz e das visitas. A partir de março, durante três meses, muitas pessoas das igrejas e casas de divulgação fizeram o hinokishin de reforma e preparativos para a comemoração, chegando aproximadamente a 1000 pessoas. Como resultado o Dendotyo ficou excelente. Agradeço sinceramente pela dedicação de todos.
Como finalização das atividades dos três anos, mil dias, foi feito um grande trabalho para que no dia da comemoração pudesse haver a presença de um número máximo de pessoas e tendo a pesquisa feita antecipadamente da quantidade de participantes, foram preparadas 7000 lembranças e refeições.
As pessoas que fizeram a reverência podem ser divididas da seguinte maneira: do exterior vieram do Japão, Estados Unidos, Portugal, Colômbia e Paraguai, totalizando 38 pessoas; dos estados do Brasil que estão a mais de 1000 quilômetros de distância do Dendotyo como Roraima, Amazonas, Amapá, Pará, Maranhão, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Rondônia, Mato Grosso, Sergipe, Bahia, Brasília, Goiás e Rio Grande do Sul, totalizaram 211 pessoas de 16 estados; de Minas Gerais, Rio de Janeiro e Mato Grosso do Sul vieram 68 pessoas e o restante vieram do Paraná e de São Paulo com aproximadamente 6000 pessoas.
Até a comemoração dos 40 anos do Dendotyo a maioria das pessoas eram do Paraná e de São Paulo, mas desta vez, dos 27 estados brasileiros tivemos a presença de pessoas de 21 estados e isso significa que o Caminho no Brasil, pouco a pouco, tem-se expandido para todo o país. Tanto na comemoração dos 50 anos com na dos 60 anos, determinamos a meta de ter ‘locais de missionamento em todos os estados brasileiros’ e com certeza, esse resultado foi atingido devido ao empenho e trabalho de todos.
Neste momento em que pudemos realizar magnificamente a comemoração dos 60 anos de fundação, estamos dando início rumo ao próximo objetivo. Renovando a determinação, vamos seguir firmemente pelo caminho da evolução espiritual. Ainda não termos nenhum pronunciamento da Sede da Igreja sobre a celebração dos 130 anos do Ocultamento Físico de Oyassama. Talvez no ano que vem haja alguma atividade.
Todos nós que estamos seguindo a fé deste Caminho aqui no Brasil tivemos grandes alegrias neste ano, porém, ao observarmos o mundo, principalmente os Estados Unidos e o Japão passaram por catástrofes naturais, no Oriente Médio continuam os ataques terroristas que matam muitas pessoas inocentes e na África, por causa das más colheitas, milhares estão passando fome.
Um fato que deve ser relembrado foi o grande terremoto que ocorreu no nordeste do Japão no dia 11 de março. Nas províncias de Iwate, Miyagui e Fukushima que foram as mais atingidas, ocorreram muitas destruições. Dizem que o terremoto que atingiu a magnitude 9, acontece a cada 1000 anos e é um dos maiores tremores da história. Na sequencia, um imenso tsunami, muito além do previsto, atingiu a costa dessa região e devastou grandes áreas, deixando mais 20 mil pessoas mortas ou desaparecidas. Os sobreviventes foram obrigados a se refugiarem nos abrigos coletivos e esse número ultrapassou 500 mil pessoas. Atualmente, após sete meses desde a tragédia, 80 mil pessoas ainda continuam vivendo em abrigos ou alojamentos provisórios. O terremoto de magnitude 9 foi a mais alta a ser registrada na história japonesa. Muito mais que o terremoto, o tsunami que aconteceu na sequencia é que tirou a vida de milhares de pessoas. As imagens do tsunami devastando e levando as casas, os carros e as lavouras foram mostradas em todo o mundo e a palavra japonesa tsunami foi usada sem tradução, e agora é conhecida por todos.
Na Sede da Igreja, durante três dias, a partir do dia 12 de março, sempre ao meio-dia, tendo o Shimbashira ao centro, foi realizado o Serviço de Solicitação. No Dendotyo do Brasil também, ao meio-dia do dia 12, por ser véspera da cerimônia mensal, com a participação de muitas pessoas, foi realizado o Serviço de Solicitação pedindo a salvação daqueles que sofreram a catástrofe e a mais rápida recuperação e reconstrução das localidades atingidas.
No dia 26 de março, na dedicatória da Cerimônia Mensal da Sede, o Shimbashira disse: “Recebendo este rigoroso nó como uma orientação que contém o espírito do Parens, eu também, fazendo diversas reflexões e fortalecendo com firmeza o espírito, desejo me dedicar com seriedade ao ensinamento. Ao mesmo tempo, conscientes de que somos igualmente irmãos, vamos unir a sinceridade de todos os seguidores e empenhar ao máximo na reconstrução com espírito sincero.”
Além disso, o reverendo Ueda, Diretor Geral Administrativo, em sua mensagem no Jornal Tenri Jiho, disse: “No Ofudessaki temos que os desastres naturais são a expressão da ira e do pesar de Deus. Porém, há de se interpretar o presente fato como uma advertência a todo o mundo, e não só às pessoas que foram afetadas. Mesmo aqueles que não se defrontaram diretamente com essa situação, interpretando-a como algo para si, devem refletir e corrigir a direção do espírito. Ao mesmo tempo, penso que está sendo requerida de nós a atitude de estender voluntariamente as mãos para a salvação.”
Imediatamente após o desastre, na Sede da Igreja foi instalada a Central de Medidas às Catástrofes da Tenrikyo e foi iniciada a arrecadação de doações. Contando amplamente com a sincera contribuição de todos os fiéis, até o final de julho, o montante arrecadado tinha chegado a quase 700 milhões de ienes que foi enviado para as localidades atingidas. Os fiéis do Brasil também ajudaram nas doações e em abril e julho foi entregue o total de 7 milhões de ienes.
O Corpo de Hinokishin de Salvamento de todas as regionais foram imediatamente aos locais atingidos e fizeram diversos trabalhos de recuperação e reconstrução. Chegou-se ao total de 18.621 participantes deste hinokishin. Muitas localidades enviaram cartas de agradecimento à Sede da Igreja ou fizeram homenagens ao trabalho desenvolvido pelo Corpo de Hinokishin que atuaram intensamente. Certo responsável administrativo de uma localidade, na carta de agradecimento escreveu: “os habitantes deste local estavam totalmente incertos com o futuro e muitos tinham decidido ir viver em outras cidades. Porém, após a chegada do Corpo de Hinokishin da Tenrikyo que começou a fazer o trabalho de limpeza dos escombros, a maioria voltou a ter confiança e decidiu recomeçar a vida aqui mesmo na cidade.”
Para as pessoas que perderam as suas casas devido ao terremoto ou ao tsunami, a Sede da Igreja cedeu o alojamento dos fiéis em Jiba, num total de 3000 lugares, recebendo também pessoas que não eram da Tenrikyo. O período era até o final de setembro e não seriam cobradas as despesas de permanência e nem as refeições.
Além do trabalho do Corpo de Hinokishin de Salvamento, a Associação Infantojuvenil e a Associação Estudantil da Sede enviaram seus membros para as cidades afetadas e fizeram atividades de recreação para as crianças que tinham sofrido o desastre, para dar ânimo e alegria. O Hospital Ikoi-no-iê enviou oito médicos que durante cinco dias deram assistência na cidade de Kissennuma, na província de Miyagui. Na Sede da Igreja foi criado o Centro de Assistência Espiritual e Psicológica para atender e dar suporte para as pessoas que ficaram emocionalmente abaladas pelo desastre e também ajudar psicologicamente as pessoas que estão trabalhando diretamente na reconstrução e recuperação por longo tempo.
Neste grande desastre natural no nordeste japonês, além dos danos causados pelo terremoto e pelo tsunami, devido a isso, aconteceu também o acidente nuclear na usina atônica de Fukushima que ainda tem gerado muitos problemas graves. Logo após o acidente que afetou a usina, os técnicos, os membros das Forças de Autodefesa e os bombeiros, arriscando a própria vida, estão trabalhando continuamente no esfriamento do reator atômico e mesmo após meio ano, ainda não se chegou a muitos resultados positivos. Nas regiões próximas de Kanto, muitos lugares estão com altos níveis de radiação e as plantações, o mar e a água também estão contaminadas. Por falta de energia, está havendo racionamento que tem afetado diretamente a vida da população e também causado grandes prejuízos aos transportes, à indústria e ao comércio em geral. Está sendo dito que esta é a maior crise japonesa desde a segunda guerra mundial.
Logo após o terremoto, não só do Japão, mas de muitos países começaram a chegar ajuda aos locais afetados, onde foram realizados os trabalhos de salvamento. Foi noticiado que essa ajuda veio de 130 países e localidades do mundo todo. Um fato marcante foi a Operação Tomodati realizada pelos Estados Unidos que chamou muita atenção. Dizem que o que ocasionou esta operação foi a atitude e a postura dos membros das Forças de Autodefesa que se entregaram de corpo e alma ao trabalho na procura pelos desaparecidos e na usina atômica. Nas áreas devastadas não houve tumultos ou saques e a imagem das vítimas que mostravam tranquilidade, mesmo em meio à grave situação foi algo que trouxe admiração de todo o mundo. No Ofudessaki tem-se:
Que imaginam ser este Caminho? Somente a salvação mútua em todas as coisas. Of. XIII-37
Se o mundo inteiro salvarem-se mutuamente, Tsukihi se encarregará do espírito de todos. Of. XIII-38
        Deus-Parens criou o mundo e os seres humanos com a intenção de compartilhar da alegria vendo o viver feliz e a salvação mútua entre todos. Assim, o desejo de Deus-Parens é a salvação mútua. Essa salvação não é só nos momentos em que ocorrem as catástrofes, mas esse sentimento deve sempre existir no cotidiano das pessoas.  Essa é a intenção de Deus-Parens.
        Nas regiões mais atingidas de Iwate, Miyagui e Fukushima existem 369 igrejas da Tenrikyo. Nestas três províncias, 25 igrejas foram totalmente destruídas, 28 igrejas tiveram a metade destruída e 153 igrejas sofreram danos parciais.
        O Japão é um país que sofre com muitos desastres naturais. No dia 3 do mês passado, o furacão n°12 (Talas) passou pela região centro-oeste japonês trazendo chuvas torrenciais. Como a velocidade do furacão era lenta, as fortes chuvas se concentraram nas províncias de Wakayama e Nara. O número de mortos e desaparecidos ultrapassou 100 pessoas. Apesar de ter passado vários dias, existem ainda muitos desaparecidos por que a região de Wakayama e Nara é cheia de montanhas e devido aos desmoronamentos, as estradas foram bloqueadas e não há como chegar nas cidades e nas vilas mais afastadas. O deslizamento das terras fez com que os rios ficassem represados, criando lagos em quatro locais. Entretanto, essa água represada pode romper o dique e causar novos acidentes. Por isso, os trabalhos de salvamento ficam prejudicados e atrasados. Dizem que esta é uma das maiores catástrofes causadas por furacão nos últimos 20 anos. Em comparação ao Japão, no Brasil ocorrem menos fenômenos naturais que causam destruição e isso é muito gratificante.
Então, como será que Oyassama orientou as pessoas que sofreram danos por causa das catástrofes? Para verificar, fiz a leitura do livro Episódios da Vida de Oyassama. E no episódio 21, tem-se:
        ‘Em meado de maio de 1868, cinco anos após Tyushiti Yamanaka ter iniciado na fé, chovia torrencialmente todos os dias, os rios transbordavam aqui e ali, causando uma grande inundação e, as lavouras e as casas eram levadas pelas correntezas. 
        A propriedade de Tyushiti sofreu também enormes danos como o deslizamento do morro e soterramento de grandes árvores. Aproximadamente um hectare do arrozal irrigado ficou coberto de terra e lama.
        A vizinhança que zombava da fé de Tyushiti, não perdeu a oportunidade para ridicularizá-lo: “Veja aquilo! É um tolo!”
        Ouvindo isso, Tyushiti ficou magoado. Regressou imediatamente à Residência e consultou Oyassama, que lhe disse:
        “Excelente! Excelente! Será posteriormente excelente, porque foram levados e alcançaram a profundeza do mar. Talvez pense por que o campo e o monte foram arrastados pela correnteza apesar de crer nesta fé, mas fique sinceramente satisfeito, sinceramente satisfeito. O futuro será excelente.”
Tyushiti agradeceu de todo coração a Deus-Parens por sofrer apenas um pequeno infortúnio em vez de uma grande desgraça.’
        Apesar de seguirmos a fé, muitas vezes ficamos preocupados e temos dificuldade para refletir e compreender o que está sendo mostrado através do fato que pode ser um desastre natural, enfermidade ou problema.
        Oyassama tem ensinado que quando deparamos com os ‘nós’, fatos inesperados, devemos aceitar com espírito de que é ‘Excelente! Excelente!’, e ficar ‘sinceramente satisfeito, sinceramente satisfeito’. Ou seja, ‘estabelecer o espírito de alegria’ e compreender que a ‘satisfação sincera é o arrependimento das predestinações das vidas passadas’. Se através do ‘nó’ conseguir estabelecer a satisfação sincera, então tudo ‘será posteriormente excelente’.
        Ao final deste episódio, tem-se: ‘Tyushiti agradeceu de todo coração a Deus-Parens por sofrer apenas um pequeno infortúnio em vez de uma grande desgraça.’ Não está claro como foi que ele fez a reflexão, mas imagino que por apenas ter havido o deslizamento do morro e soterramento do arrozal, não atingindo a casa ou as pessoas da sua família é que pode compreender que um grande desastre foi transformado em um pequeno problema.
        No capítulo VIII da Doutrina de Tenrikyo tem-se: ‘Mesmo uma vez comovidos pelos ensinamentos e resolvidos a seguir a fé, poderemos, mais tarde, fraquejar e ser incapazes de continuar contentes e animados, ou ainda, ter momentos de hesitação por causa dos molestamentos físicos e complicações espirituais, apesar de termos sido salvos. O caminho que devemos seguir é viver radiante de alegria e entusiasmo, firme e sem desânimo, refletindo constantemente sobre o nosso próprio espírito em qualquer circunstância, entendendo e aceitando todo acontecimento como uma manifestação da intenção divina. Essa maneira de conduzir o espírito chama-se tanno ou satisfação sincera.’ Continuando, tem-se: ‘Quando esse espírito de satisfação ou tanno ficar realmente assim determinado, as más causalidades acumuladas nas vidas anteriores serão extintas. Foi-nos explicado a respeito que “a satisfação sincera é o arrependimento das más causalidades das vidas anteriores”. Essa satisfação não é mera resignação nem tolerância. É o ato de viver, haja o que houver, alegre e entusiasmado, com o espírito cada vez mais firme, compreendendo o amor de Deus-Parens em qualquer fato que nos sucede diariamente. Desta maneira, de acordo com o ensinamento “do nó saem brotos”, os molestamentos físicos e as complicações espirituais são nós que se tornam alimentos do espírito e dão impulso à fé.’
        Todos nós devemos refletir que os fatos que ocorrem no dia a dia ao nosso redor, sejam coisas boas ou ruins, tudo é a manifestação das sementes que plantamos no passado. Por mais que surjam coisas desagradáveis, não podemos pensar que é responsabilidade das outras pessoas, da sociedade ou do país, tentando colocar a culpa nos outros. É preciso compreender que ‘todo acontecimento é de acordo com a razão do céu’, e mesmo que algo não seja satisfatório para si, estabelecer o espírito de satisfação sincera e passar com alegria. Somente deste modo é que as más predestinações das vidas anteriores vão sendo extintas. É isso que está sendo ensinado. Pelo fato de não passar com satisfação sincera é que não se consegue eliminar as predestinações passadas e por isso surgem os sofrimentos.
        Para todos existiu o dia de ontem, existe o dia de hoje e haverá o amanhã. Existiu a vida passada, a vida atual e haverá a próxima vida.
        No dia a dia devemos limpar as poeiras do espírito e sentir gratidão pelas graças de Deus-Parens e com espírito de moderação, praticar a salvação mútua para caminhar animado rumo a vida plena de alegria e felicidade.
        Assim, termino a minha palestra.
        Muito obrigado pela atenção.

Comments