Palestras‎ > ‎Outros‎ > ‎

Palestra da manhã_Jorge Suzuki

Senhoras e senhores muito bom dia. 

Para mim é uma imensa satisfação e uma grande honra poder participar da palestra da manhã aqui no Dendotyo. Mas, por outro lado, me sinto ainda  imaturo e despreparado, devido a tamanha responsabilidade desta missão. Ao receber esta incumbência do Dendotyo com a orientação de que o tema da palestra é livre, mas que referisse, também, sobre a gratidão da fé, e excelência da fé no Caminho. Achei que seria para alguém com mais experiência.  E a pergunta que me faço é porque teria de ser eu?   E, o tempo foi passando, e não comuniquei da minha impossibilidade de participar desta palestra, e finalmente chegou o dia de hoje. Agora, todos terão de me ouvir com muita paciência.  

Neste ano, no dia 12/06/2011, tivemos a grande festa comemorativa dos 60 anos de fundação do Dendotyo, com a presença do nosso pai espiritual SHIMBASHIRA-SAMA e esposa e sua comitiva, e mais de 6.000 pessoas vindas de todas as partes do Brasil. Na Tenrikyo, quando ocorrem essas grandes celebrações ouvimos muito falar sobre os três anos, mil dias que antecedem a cada um desses grandes eventos.

Na palestra de hoje, pretendo falar sobre a minha família e minha vida como seguidor da Tenrikyo, com o tema: TRÊS ANOS, MIL DIAS.  Solicito a atenção de todos.
 
Primeiramente, como acho que muitos não me conhecem,  vou fazer uma rápida auto-apresentação: 

Meu nome é Jorge Suzuki, pertenço a Igreja Tenrikyo  Três Barras,   sou da 2ª geração na Tenrikyo, moro em São Paulo, a minha esposa é filha da atual condutora da Igreja Tenrikyo Marialva - PR, sou pai de três filhos, e assumi como condutor da Casa de Divulgação Amoreira há exatamente um ano. (em outubro de 2010).

Como eu disse, a palestra terá como tema: Três Anos, Mil Dias.  Acho que todos já sabem de onde vem esse termo.  Seguindo esse tema, pretendo falar sobre as passagens, de forma resumida, desde o início da fé de minha família até os dias de hoje, de forma aberta e sem censura.

 
O termo ou a frase “ Três Anos, Mil Dias, está no OSASHIZU  (Escritura Divina), de 07 / 11 / 1889.  Ano 52-R.D., que diz: (de forma resumida):    (122 anos atrás).    É  Deus-Parens  dizendo  ..........

“Sah, sah, começo a fazer um pouco de explanação.
Todos os dias diz-se,   estou atarefado, estou atarefado......
Não vos digo para fazer coisas difíceis, e nem coisas sem modelo.  
Existe o Caminho de 50 anos da vida vida-modelo da Oyassama a ser seguido.  
Se não trilhardes o Caminho da vida-modelo, não será necessária a vida-modelo.
Passaram-se 10 anos... 20 anos.... em que vim trilhando o Caminho, que não dá para expressar nem em palavras ou escritas. 
Não foram 1.000 anos ou 2.000 anos, e sim apenas 50 anos de vida modelo.
Não vos digo para passar 20 anos ou passar  50 anos....
É bastante se passar pelo Caminho,  por apenas,  Três anos,  1.000 dias. (3 x 365 = 1095)
        Os 1.000 dias, ou três anos, é que são difíceis. 
        Não há outro caminho a não ser o caminho da vida-modelo.
        No Caminho da vida-modelo, há muitos acontecimentos.
        Tem-se semeado também o Caminho da sinceridade.
        É durante os 3 anos, 1000 dias ....  Se passar os 3 anos, tornar-se-á uma grande coisa.
        Se suportardes pelo caminho por 3 anos, não podereis cair  mesmo querendo;
        Não terá dificuldades, nem sofrimentos, mesmo querendo”.

        Fazendo uma analogia.  Na sociedade, também, se estudar por 6 anos o curso de medicina, com afinco, com determinação, acordando medicina, almoçando e jantando medicina, e dormindo medicina, ao final de 6 anos, forma-se um bom médico e pode dedicar à profissão por toda a vida. Assim, como em outros cursos de especialização, mestrado, pós-gradução, etc. é a mesma coisa.
         Na Tenrikyo são três anos, mil dias, de preparação e dedicação, a cada grande evento. Podemos assim, galgamos, passo a passo, na evolução espiritual.

Oyassama ocultou-se fisicamente em 26/01/1887.  E, esse Osashizu é de 07/11/1889.  Portanto, dois anos após o Ocultamento Físico de Oyassama,  e faltava três anos, ou  mil dias para o 5º Ano do Ocultamente Físico de Oyassama. Foi dispendido enorme esforço para essa celebração e teve uma grande expansão do caminho nessa época.
Todos nós seguidores deste caminho temos o que chamamos de MOTO-ITINITI. (o dia original).  E, na minha família, também, não foi diferente.   Um dia alguém da nossa família ouviu sobre os ensinamentos da Tenrikyo, e a partir daí é que passamos a seguir o caminho desta fé.  
Eu disse que sou da 2ª geração na Tenrikyo.
Meu pai ingressou da fé da Tenrikyo por volta dos 70º ano do Ocultamento físico da Oyassama.  (1956 – há 55 anos atrás). 

A família de meus avós paternos e maternos eram todos budistas.  
O meu avô paterno (pai do meu pai) era Budista fervoroso; ele era um Monge Budista;  ele tinha uma Igreja Budista na cidade de Assai no Paraná.
Nessa época, meu pai trabalhava na lavoura de café, num sítio há 18 km dessa cidade,  no Município de São Sebastião de Amoreira.  Aos 7 anos de idade  fui matriculado no primeiro ano do grupo escolar na cidade de Assai-PR,  e freqüentei os primeiros anos de escola, morando dentro da Igreja Budista juntamente com meus avós.  
        São coisas do destino, ou predestinação.
 
        Em 1956, ano do 70º aniversário de Ocultamento físico de Oyassama a minha avó (Kan) e tio (Nagano) regressaram a Jiba (em Tenri, no Japão),  juntamente com a reverenda Hatsue Watanabe, condutora da Igreja Tenrikyo Três Barras, e ambos, receberam o Dom do Sazuke, e retotornaram  como yoboku da Tenrikyo.
Isso aconteceu porque, para essa comemoração foram realizados todos os trabalhos de preparação e determinação espiritual dos mestres e seguidores da Tenrikyo, durante os três ano, mil dias, antes dessa data.  É um período fértil e de grande dedicação dos fiéis da Tenrikyo na salvação e divulgação do ensinamento. 

As coisas foram acontecendo e,  nesse período, a minha tia Kikue   (irmã de Kan-Iti), casada,  com Sussumu Nagano (1951) foi acometida de uma doença que era a neurose,  e não mais conseguiu cuidar de si,  muito menos dos afazeres da casa.   Nessa época, a família foi contatada pela condutora da Igreja Tenrikyo Três Barras, reverenda Hatsue Watanabe, e o Sr. Nagano desejando a salvação de sua esposa, ingressou na fé  e  passou a frequentar a igreja.

Até aqui meu pai não era da Tenrikyo.
Passado um tempo, a minha avó (Kan Suzuki) sofreu uma doença dos nervos e sentia muitas dores,  por todo o corpo.   Nessa oportunidade, meu pai, Kan-iti, que já conhecia a Tenrikyo levou minha avó ao Três Barras Kiyokai para receber o Osazuke.   A reverenda Hatsue Watanabe (kaityo-san) ministrou o Osazuke pedindo a graça  para eliminar a dor por um determinado período (de 3 dias).   Milagrosamente, recebeu a graça exatamente até o período indicado.  Passado os 3 dias as dores voltaram exatamente como era antes, e foi receber novamente  o Osazuke.  Esse fato impressionou profundamente a minha avó.  

E, assim iniciou a fé (da avó Kan) na Tenrikyo. 

A minha avó (Kan) que passou a freqüentava a Igreja Tenrikyo Três Barras começou a ter problemas dentro de casa, passando por momentos difíceis, devido a divergências de crenças.  Meu avó, um Monge Budista, e minha avó freqüentando a Igreja Tenrikyo. 
.
Meu pai, na oportunidade dos 70 Anos de Ocultamento Físico da Oyassama, se comprometeu em transportar, de caminhão, as bagagens dos regressantes que foram fazer Jiba-Gaeri. 

Nessa caravana estavam a minha avó (kan) e tio (Nagano), e a viagem de volta ao Brasil estava previsto para o dia 15/08/1956, no porto de Santos.   O programado era transportar de caminhão as bagagens de Santos até a Sede da Igreja Tenrikyo – Dendotyo do Brasil,  localizada na cidade de Bauru-SP.  

Porém,  no dia 31/07/1956 (duas semanas antes), caiu uma forte chuva de granizo na região de Amoreira que quebrou  telhas de todas as casas do sítio. 

  No dia seguinte, quando estava terminando a troca das telhas quebradas da última casa, Kan-Iti caiu da escada que se quebrou ao meio, machucando a costela e teve coluna afetada.  


        No dia 01/08/1956, Kan-Iti pediu para eu seu irmão Hideo o levasse para a Igreja Tenrikyo Três Barras, em Assai, quando todos pensavam em levar ao médico. No kyokai foi recebido por reverendo Hiroshi Kondo sensei que lhe ministrou o Osazuke.  

Reverendo Konno disse: o fato de sofrer acidente é uma indicação de Deus-Parens. E disse para fazer determinação espiritual de seguir o caminho da fé da Tenrikyo. Meu pai (Kan-Iti) de pronto acatou essa orientação. 

Posteriormente, soube do médico que a sua costela e coluna estava gravemente afetada e que demoraria mais de um mês para recuperação. Assim, ficou na cidade de Assai na casa de seus pais (Igreja Budista) até o dia 10/08/1956. Dois dias depois, no dia 12/08/1956, mesmo sentindo ainda muitas dores, carregou no caminhão 80 sacas de feijão para vender e conseguir dinheiro para as custas da viagem. Partiu de Amoreira, com seu irmão mais novo Saburo ao volante em direção a Santos. Em São Paulo descarregou a carga num atacadista e seguir viagem até o Porto de Santos.   No dia 15/08/1956, conforme previsto carregou as bagagens do pessoal da caravana e pegou o caminho de volta passando por Bauru-SP. Em meio a esta viagem meu pai (Kan-Iti) havia recobrado suas forças e conseguiu pegar a direção do caminhão. 

Este acontecimento foi o marco para a sua determinação em seguir firmemente o caminho da fé da Tenrikyo.

Em 19/03/1957 meu pai recebeu os altares em sua residência, no sítio em São Sebastião de Amoreira.

Em 19/10/1959 meu pai (Kan-Iti) juntamente com a minha mãe (Sakae) fizeram Ojiba-Gaeri, cursaram o Shuyoukai e também  o Kentei Koushu, e receberam o Dom do Sazuke tornando-se missionários da Tenrikyo.
Voltando de Jiba meu pai foi designado para realizar o Tooban no antigo Shinden do Dendotyo e continunou no hinokishim por mais um mês na construção do novo Shinden que seria inaugurada em setembro de 1961 quando do 10º aniversário de fundação do dendotyo.

Em 20/01/1963 mudou para cidade de Londrina, ocasião em que recebeu a incumbência da Igreja para realizar missas de algumas famílias.  

Em 11/12/1966 (FUKYOSHO) meu pai recebeu a concessão de fundar a Casa de Divulgação Amoreira.

Em 1966 – 80º Ano do Ocultamento físico de Oyassma, meu tio Saburo regressou a Jiba, tornando –se Yoboku e Kyoto.

Em 1976 – 90º Ano do Ocultamento físico de Oyassama, meu pai (Kan-Iti regressou a Jiba.
Em 1986 – 100º Ano do Ocultamento físico da Oyasama. Realizei meu primeiro Ojiba-Gaeri, com a esposa (Mayumi) e filho (Seiji).=

Em 1996 – 110º Ano do Ocultamento físico de Oyassama, regressei pela segunda vez a Jiba juntamente com a esposa (Mayumi) e filhos (Seiji, Liane e Camila). 
Em 25/02/1999 – retornamento - Kan-Iti (75) (fundador  Fukyosho);

Em 12/09/1999 - posse de minha mãe como 2ª Condutora do Fukyosho. 

Em abril/2000 – 90º Ano de fundação do Fujinkai da Sede-Honbu, regressaram: minha mãe (Sakae), as irmãs (Dirce e Etsuko).
Em 2006 – 120º Ano de Ocultamento físico de Oyassama, regressaram a Jiba minha esposa (Mayumi) e  filho (Seiji).

        Quero ressaltar aqui as 3 últimas celebrações da Tenrikyo.
a)    19/04/2010 – 100 anos de fundação do Fujinkai da Sede-Honbu,
b)    12/06/2011 -    60 anos de fundação do Dendotyo do Brasil,
c)    05/06/2012 -    60 anos de fundação da Igreja Três Barras.

a) Em 19/04/2010 – 100º Ano de Fundação do Fujinkai da Sede-Honbu, regressou  a Jiba a filha (Liane).   ( 2008 – 2009 – 2010 )

b) Em 12/06/2011–60º Anos de Fundação da Sede Missionária Dendotyo do Brasil.  (2009-2010-2011).

c) Em 05/05/2012 – 60º Anos de Fundação da Igreja Tenrikyo Três Barras – Assai – PR. (2010 – 2011 – 2012)

a) FUJINKAI – 19/ABR/2010 - Em função da comemoração dos 100 anos de fundação do Funjinkai da Sede da Tenrikyo, a minha mãe (Sakae) foi trazida para São Paulo no dia 11/04/2011, devido a Ojiba-Gaeri (regresso a Jiba) do meu tio (Saburo Suzuki) e da minha  irmã (Etsuko Niwa) que moravem em Londrina.
        Até essa data o Amoreira Fukysho estava localizada em Londrina-PR e a condutora era a minha mãe (Sakae). 
        Aí começaram a ocorrer alguns imprevistos, consultas médicas e realização de exames. O tempo foi passando, e achamos que seria melhor a minha mãe permanecer em São Paulo.  Daí,  para levar o Fukyosho para São Paulo foi um pulo. Mas, haviam outros avisos de Deus-Parens. Meses antes do Fujinkai, a casa da minha mãe de Londrina foi invadida por ladrões por diversas vezes.  Não foram 3 ou 4 vezes seguidos, foram de doze ou treze invasões seguidas até perdermos a conta.  Passados todos esses sustos, posso pensar que eram avisos de Deus-Parens para tomarmos alguma atitude.    

b)      3º CONDUTOR CASA DIVULGAÇÃO AMOREIRA – 10 / 10 / 2010.
Foi exatamente,  há um ano atrás, no dia 10 / 10 / 2010, após a Grande Cerimônia do Dendotyo (Sede Missionária do Brasil), recebi o Certificado de Reconhecimento como sucessor da Casa de Divulgação Amoreira das mãos do Primaz (Yuji Murata), na presença de todos os diretores e condutores de Igreja do Brasil, e assumi como 3º Condutor da Casa de Divulgação Amoreira.

c) CIRUGIA DA PRÓSTADA – 06/12/2010 - Ainda durante o período de 3 anos, mil dias, da comemoração dos 60 anos de fundação do Dendotyo passei por mais um aviso importante.   Eu havia assumido como 3º Condutor da Casa de Divulgação Amoreira no dia 10/10/2010, e mais ou menos 2 meses depois, no dia  06/12/2010 eu estava no Hospital do Rim e Hipertensão para fazer a cirurgia da próstata.  Era um caso de hiperplasia benigna da próstata (HBP). É um aumento do volume da próstata que acontece com a idade. Os sintomas são dificuldade para urinar, sensação de não esvaziamento completa da bexiga após urinar.  No 3º dia recebi alta médica e ao me despedir do médico, ele pegou seu cartão de visita, anotou o nº do seu celular e disse: se precisar me ligue a qualquer hora.  Recomendou para não dirigir por um período de uma semana a dez dias, e depois, vai se soltando levando uma vida normal.

Passado uns 20 dias, depois do natal, no dia 26/12/2010, viajamos de férias com a família Florianópolis - Santa Catarina.  Eu estava me sentindo muito bem, achei que estava recuperado da cirurgia e podia viajar sem problemas. Dia 30/12 pegamos a estrada em direção a Londrina e passamos o reveion com a família. Primeiro domingo (03/01) foi Omatsuri do Três Barras Kiyokai,  e  terminado o Omatsuri fomos para Marialva na casa da sogra. Posamos duas noites, e finalmente pegamos a estrada de volta para casa em São Paulo, depois de cerca de 10 dias fora de casa.  De Marialva até São Paulo são mais ou menos 700 km. Tivemos algumas paradas para uma pausa ou abastecer. Nas paradas fui fazer xixi. E em todas as vezes fiz xixi amarelo. Quando nós fazemos xixi amarelo a gente não dá a menor importância. Achamos que é obrigação da natureza, de Deus-Parens. E esquecemos que ao fazer aquele xixi amarelo estamos recebemos uma grande graça e providências de Deus-Parens (Ten-Ri-Ô)-no-Mikoto), o Deus original e verdadeiro. 
        Aqui estou me referindo as 10 providências divinas.

1. Kunitokotati-no-mikoto – Representa no corpo humano a providência divina dos olhos e umidade, e no mundo a água.

2. Omotari-no-mikoto – Representa no corpo humano a providência divina da temperatura,  e no mundo o fogo.

3. Kunissazuti-no-mikoto – Representa no corpo humano a providência divina do órgão genital feminino e da conexão da pele, e no mundo a conexão em geral.

4. Tsukiyomi-no-mikoto – Representa no corpo humano a providência divina do órgão genital masculino e do esqueleto suportador, e no mundo o suporte em geral.

5. Kumoyomi-no-mikoto – Representa no corpo humano a providência divina da entrada e saída dos alimentos, e no mundo da subida e descida da umidade.
6. Kashikone-no-mikoto – Representa no corpo humano a providência divina da respiração, e  no mundo do vento. 

7. Taishokutem-no-mikoto – Representa a assistência divina de cortar a conexão do bebê com o útero da mãe no nascimento e de cortar a respiração no retornamento.  No mundo representa a providência de corte em geral.

8. Otonobe-no-mikoto – Representa a assistência divina de extrair a criança do útero da mãe no nascimento.  No mundo representa a providência da extração em geral.
9. Izanagui-no-mikoto – O protótipo de homem, com a função de semente.

10. Izanami-no-mikoto – O protótipo de mulher, com a função e viveiro.

Depois das paradas na estrada, a viagem prosseguiu, e finalmente, chegamos em casa já a noite bastante cansados, em São Paulo. Descarregamos  as bagagens e fui ao banheiro fazer xixi, e desta vez verifiquei que eu estava urinando sangue. Era um líquido vermelho que enchia o vaso sanitário. Achei muito estranho pois na estrada o xixi era normal.  Falei para minha esposa que eu estava urinando sangue.   Aí, ela disse: Ainda bem!   Se refletirmos bem, ficamos 10 dias fora de casa, sabendo que há 20 dias eu havia sido operado da próstata.  Eu estava correndo o risco de ter essa homorragia a qualquer momento, mas, Deus-Parens esperou que eu chegasse em casa para ter essa hemorragia.  Eu tinha só que agradecer a Deus  por isso.  Mas,  não havia meio de parar o sangramento. Eu estava urinando sangue.  

        Nesse momento, lembramos do Osashizu de 01/06/1889: 
“人間というは、身の内 神のかしもの、かりもの、心一つ我がの理”。
“O corpo humano é coisa emprestada por Deus e tomada emprestada pelo homem. Somente o espírito é um bem próprio.

Se esse corpo fosse nosso, eu poderia ter o domínio desse corpo e interromper o sangramento que estava ocorrendo. Mas, eu não tinha nem a torneirinha para “fechar” o sangramento, e nem um botão de liga e desliga para interromper o sangramento. 
Nisso já eram mais de 22:00h, e a essa horas o que fazer? Procurar um Hospital, Médico ou Pronto Socorro?. Lembrei que eu tinha um cartão de visita do médico que fez a cirurgia da próstata, e liguei para o celular dele. Felizmente ele me atendeu. Expliquei o caso, e ele disse que poderia ser uma infecção urinária, e que precisaria fazer os exames. Recomendou tomar bastante água e ficar em repouso e observação, e qualquer problema era retornar a ligação. 
Nesse momento, me ocorreu que eu estava precisando da providência do Taishokutem-no-mikoto, que tem a função de cortar, sustar, interromper, parar o sangramento.  Falei com a minha esposa e ela ministrou o Osazuke.   Terminado o Osazuke, milagrosamente, parou por completo o sangramento. Não podemos esquecer as outras providências: Kunitokoti-no-mikoto,  omotari-no-miko, kunisazuti-no-mikoto, tsukiyomi-no-mikoto, kumoyomni-no-mikoto, kashikone-no-mikoto, taishokuten-no-mikoto...     No dia seguinte, telefonei para o médico e na hora, ele marcou uma consulta para 12:30h. Fiz os exames e hoje estou aqui são e salvo.
 
Conforme o ensinamento somos vivificados pelas providências de Deus-Parens (Ten-Ri-Õ-no-Mikoto).   Sem essas providências  ou não há vida  ou estamos  com problemas de saúde (doença).

Fazendo uma retrospectiva desses últimos 55 anos, desde quando meu pai iniciou nesta fé, até os dias de hoje, verificamos que a cada Decenário do Ocultamento Físico da Oyassama, ou das grandes comemorações da Tenrikyo,  ocorreram fatos relevantes, inúmeras graças recebidas,  e as principais mudanças no rumo de nossas vidas. E graças a esses grandes eventos, sempre passando pelo período de três anos mil dias, com determinação, é que existe o dia de hoje em nossa família.

Finalmente, quero relembrar aqui parte da Instrução nº 2, anunciado pelo atual Shimbashira-sama, Zenji Nakayama, (26/10/2003 - 165 da R.D):  Watakushitati no Mawari ni mo Ookuno Tassukeo o Hitsuyou to suru Hito ga iru.  Traduzindo: Ao nosso redor, também, há muitas pessoas que necessitam de assistência e salvação.  
 
A minha caminhada na fé prossegue,  e como Yoboku ou Missionário da Tenrikyo, e também como Condutor da Casa de Divulgação Amoreira, tenho aqui a responsabilidade e a missão de ajudar os próximos e salvar pessoas, dando continuidade ao trabalho iniciado pelo meu pai que foi o fundador da Casa de Divulgação Amoreira.  

Vou ficando por aqui, agradecendo a todos pela atenção. 




Jorge Kiyoshi Suzuki
Igreja Tenrikyo Três Barras
Condutor da Casa de Divulgação Amoreira

Comments