Home‎ > ‎Dendotyo do Brasil‎ > ‎

Rev. Chujiro Otake

Primeiro Primaz da Sede Missionária do Brasil


tyotyo1Nasceu no dia 2 de janeiro de 1905, como filho de Yoshimatsu Otake, no Município Nishimukai, distrito de Higashi Muro, Província de Wakayama. De acordo com o caráter que possuía, cresceu com extrema bondade e com saúde; em fevererio de 1923, ingressou na 30ª Turma do Seminário Bekka, curso espiritual do Tenrikyo, recebeu o inestimável Sazuke em 27 de maio do mesmo ano e concluiu o referido curso em julho. No mês de outubro desse mesmo ano, durante um ano e oito meses dedicou-se na divulgação em Keijo e em Chuseinando, na Coréia. 

No ano de 1926, se tornou jovem assistente da Igreja-Mor Nankai.

Em 5 de fevereiro de 1929, casou-se com Chiyo, segunda filha de Gisuke Nishi, com quem viveu feliz e harmoniosamente. No dia 11 de maio do mesmo ano, como um dos membros do grupo da imigração para o Brasil da Igreja-Mor Nankai, partiu do Porto de Kobe com um grande ideal e, em 29 de junho, chegou à terra brasileira após uma longa viagem marítima. Entrou na Colônia Tietê, onde permaneceu até abril de 1931, quando se mudou para a Vila Independência, no Município de Bauru, com o desejo ardente de transmitir o ensinamento de Deus-Parens e salvar o maior número de pessoas, dando os primeiros passos na divulgação.

Assim, apesar das dificuldades durante a sua caminhada, animado, dedicou-se exclusivamente à propagação do ensinamento de Deus-Parens.

Em maio de 1935, animando-se ainda mais com a mensagem recebida do Segundo Shimbashira, dirigida aos fiéis do Brasil, em outubro do mesmo ano formou a caravana de 150 pessoas para o regresso a Jiba, na realização dos 50 Anos do Ocultamento Físico de Oyassama. Em 11 de fevereiro de 1936, recebeu a permissão de fundação da Igreja Bauru, na cidade de Bauru, estado de São Paulo. Em agosto de 1937, conduzindo um grupo de 86 pessoas, regressou novamente a Jiba, na Comemoração do Centenário da Revelação Divina. Foi nomeado diretor da Associação dos Missionários do Brasil em 1939; diretor da Associação dos Moços do Brasil, em 1940; diretor da Associação Ichiu do Brasil, em janeiro de 1941. Dessa maneira, exerceu vários cargos importantes deste Caminho e construiu a inabalável base da fé no Brasil.

tyotyoQuando o Japão foi considerado inimigo pelo Brasil na 2ª Guerra Mundial; o Primaz, por estar doutrinando a Tenrikyo, foi considerado um líder religioso e, em março de 1942, foi detido na prisão em São Paulo, durante um ano e três meses, porém sempre seguiu a vida-modelo de Oyassama. A partir de fevereiro de 1944, quando se tornava cada vez mais confusa as condições da sociedade, abriu a Academia de Formação Espiritual reunindo jovens do Caminho e dedicou-se pessoalmente na instrução, até novembro de 1948.

Em junho de 1949, quando foi convidado para ser um dos membros da primeira delegação pós-guerra da visita ao país de origem, regressou a Jiba e, em 26 de agosto do mesmo ano, foi nomeado diretor, ao ser instalada a Sede da Administração da Divulgação no Brasil. Em novembro do mesmo ano, ministrou o primeiro seminário e estabeleceu a doutrina restaurada aos fiéis do Brasil.

Em 31 de julho de 1951, quando foi fundada a Sede Missionária, Dendotyo do Brasil, foi nomeado Primaz. Recebeu o cargo de vice-diretor da Sede em 1955, cumprindo magnificamente a missão de responsabilidade de Jiba. Em dezembro do mesmo ano, regressou a Jiba, conduzindo 101 pessoas, visando a realização dos 70 anos do Ocultamento Físico de Oyassama.

No dia 10 de setembro de 1962, festejou-se a conclusão do Recinto de Reverência de Dendotyo, construído com a concentração da sinceridade dos fiéis do Brasil, quando mostrou uma imensa alegria e satisfação. A partir de agosto de 1964, foi iniciado o Seminário de 28 dias, Shuyokai, do qual foi nomeado o responsável geral; no ano seguinte, em novembro de 1965, conduzindo a caravana de 385 pessoas, regressou a Jiba, na realização dos 80 Anos do Ocultamento Físico de Oyassama. Em agosto de 1967, fundada a Associação Infanto-Juvenil, Divisão Brasil, tornou-se responsável e dedicou toda a sua sinceridade.

No dia 11 de julho de 1971, recebendo o Shimbashira, a esposa e com a presença de cinco mil fiéis, foi realizada com alegria a comemoração dos 20 Anos da Fundação de Dendotyo; em 18 de abril de 1972, foi elevado para o inestimável cargo de Diretor da Sede e, ainda, em maio de 1973, assumiu o cargo de presidente quando foi fundada a Associação Itiretsukai do Brasil.

okaasanEm janeiro de 1976, na ocasião da realização dos 90 anos do Ocultamento Físico de Oyassama, regressou a Jiba formando uma caravana de 750 pessoas e, nesse mesmo ano, em 18 de outubro, ocorreu o triste acontecimento, o retornamento da sua esposa Chiyo, com quem conviveu por muitos anos.

Em abril de 1978, foi condecorado pelo governo japonês com o 5° grau de honra ao mérito e, ainda em janeiro de 1981, recebeu a medalha de cidadão bauruense. Relembrando ainda, em 17 de julho desse mesmo ano, com a presença de oito mil fiéis de todo o Brasil, realizou-se a comemoração dos 30 Anos da Fundação de Dendotyo, recebendo o Shimbashira e esposa. Em outubro de 1984, antecipando a realização do Centenário de Oyassama, foi concluído emOyasato, o tão esperado alojamento dos fiéis do Brasil. Em janeiro de 1986, regressou a Jiba, na realização do Centenário de Oyassama, formando caravanas que totalizaram mais de mil regressantes.

Dessa maneira, o Caminho do Brasil expandiu-se por todo o país e o mérito do Primaz, que sempre orientou os filhos da fé, ainda hoje, ilumina, e isto deve ser considerado uma das coisas dignas de se transmitir aos posteriores, eternamente.

Em 14 de julho de 1991, após realizar solenemente a comemoração dos 40 anos da Fundação de Dendotyo, recebendo pela terceira vez o casal Shimbashira, esquecendo-se da sua avançada idade, pensava ainda mais no futuro do Caminho do Brasil, sempre amparado em Deus-Parens. Sentindo satisfação pela idade que foi avançando, em 26 de outubro de 1992, reverenciou a Grande Festa da Revelação Divina da Sede, e recebeu a permissão para substituir os altares, ampliação e troca das telhas do recinto de reverência, que foram, pensando agora, os últimos trabalhos como Primaz.

Em novembro, com muita alegria, reverenciou a comemoração do Centenário da Fundação da Igreja Nishimukai, fundada por seu pai Yoshimatsu e, animado, voltou ao Brasil no dia 18 de novembro.

Mas, desde o início de dezembro, devido ao cansaço, ficou acamado e, apesar dos tratamentos médicos e do cuidado dos familiares, parentes e fiéis, tornou-se grave a sua saúde. E, finalmente, às três horas e 30 minutos do dia 23 de dezembro, tal como a água da correnteza do rio que não volta, tranqüilamente, como se dormisse, retornou aos 88 anos de idade.